Influência da concentração, tempo de exposição e temperatura na estabilidade de soluções de cloridrato de vancomicina

Influência da concentração, tempo de exposição e temperatura na estabilidade de soluções de cloridrato de vancomicina

Author Onofre, Priscilla Sete De Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Peterlini, Maria Angelica Sorgini Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Enfermagem
Abstract Introduction: Vancomycin hydrochloride is an antimicrobial widely used in the treatment of children with severe infections. Clinical practice has verified different methods of administration of drug solutions, with different diluents and concentrations, infusion period over one hour and exposure to environmental conditions, such as temperature and luminosity. These conditions raise the question about the possible impairment the stability of the medication, and scientific support is required to ensure proper administration practices, and safe nursing interventions. Objectives: To develop and validate analytical methodology to determine vancomycin hydrochloride content using High Performance Liquid Chromatography (HPLC); to analyze the stability of vancomycin hydrochloride solutions by verification of hydrogenic potential (pH) and content by HPLC based in concentration, infusion time, and exposure to high temperatures. Materials and Methods: The experimental study was developed in the Laboratory of Nursing Experiments of the Federal University of São Paulo. To validate the analytical methodology the selectivity parameters, linearity, work range, matrix effect, robustness, precision, and accuracy were determined. The sample was composed of 12 solutions. Chemical stability was analyzed using the pH and content of vancomycin hydrochloride at 5 and 10 mg/mL diluted in 0.9% sodium chloride and exposed to temperatures of 22 ± 2° C and 37 ± 2° C. The analyses were conducted immediately after preparation (T0), and after two (T2), and four (T4) h of exposure. The content analyzed was collected in three aliquots of each solution in all experimental situations, for a total of 108 analyses. For the pH, an aliquot of each solution was collected at all studied times, completing 36 measurements. The results were analyzed based on the mean (± standard deviation) and using ANOVA Variance and the multilevel linear regression model. Data normality was verified by Kolmogorov-Smirnov and Bonferroni correction tests (p ≤ 0.05). Results: The method was validated for the separation and quantification of vancomycin hydrochloride, and proved selective, linear, precise, accurate and robust. The pH did not vary during the 4 h exposure to the solution in all proposed situations, keeping its acid characteristic. In the diluted vancomycin hydrochloride solutions, to obtain 5 mg/mL and submitted to a temperature of 22 ℃. The men who did this were similar; however, there was a reduction at T4 (T0 = 101.93% ± 1.66; T2 = 101.45% ± 1.46; T4 = 100.31% ± 0.87; p < 0.001); the same situation was observed in the experiment at 37 ℃ (T0 = 106.12% ± 2.60; T2 = 106.02 ± 1.43; T4 = 104.83% ± 1.66; p < 0.001). The drug diluted to 10 mg/mL and exposed to a temperature of 22 °C resulted in an increase in T0 to T2 content, with a consecutive decrease in T4 (T0 = 92.96% ± 1.38; T2 = 94.39% ± 3.69; T4 = 91.86% ± 1.12; p = 0.006). For the 10 mg/mL vancomycin hydrochloride solution exposed at 37 ℃, the mean at T0 was lower when compared to other analysis times (T0 = 96.17% ± 2.25; T2 = 97.70% ± 1.50; T4 = 97.47% ± 0.68; p < 0.001). Despite the identified variations in drug content, the pharmacological stability of the solutions was observed due to changes of less than 10%. Conclusions: The chromatographic method for content analyses of vancomycin hydrochloride was considered valid. In the four-hour interval vancomycin hydrochloride diluted to 5 or 10 mg/mL showed statistically significant differences but remained stable according to the proportion of variability accepted to maintain pharmacological stability.

Introdução: O cloridrato de vancomicina é um antimicrobiano amplamente utilizado no tratamento de crianças portadoras de infecções graves. Verifica-se na prática clínica variações em sua administração, utilizando-se diferentes diluentes e concentrações, período de infusão superior a uma hora e exposição a condições ambientais, de temperatura e luminosidade. Tais situações geram a indagação sobre o possível comprometimento da estabilidade do medicamento, sendo necessário respaldo científico que gere a execução de práticas de administração corretas e que, consequentemente, resultem em intervenções de enfermagem seguras. Objetivos: Desenvolver e validar metodologia analítica por cromatografia líquida de alta eficiência – HPLC – (sigla de High Performance Liquid Chromatography) para determinar o teor do cloridrato de vancomicina; analisar a estabilidade de soluções de cloridrato de vancomicina por meio da verificação do potencial hidrogeniônico (pH) e do teor, segundo concentração, tempo após diluição e exposição a elevada temperatura. Materiais e Métodos: Estudo experimental desenvolvido no Laboratório de Experimentos de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo. Para validação da metodologia analítica determinaram-se os parâmetros seletividade, linearidade, faixa de trabalho, efeito matriz, robustez, precisão e exatidão. A amostra foi composta por 12 soluções. A estabilidade química foi analisada por meio da verificação do pH e do teor de soluções de cloridrato de vancomicina a 5 e 10 mg/mL diluídas em cloreto de sódio à 0,9% e expostas as temperaturas de 22±2° C e 37±2° C. As análises ocorreram imediatamente após o preparo (T0), duas (T2) e quatro (T4) horas de exposição. Para análise do teor foram coletadas três alíquotas de cada solução em todas as situações experimentais, totalizando 108 análises. Para o pH foi coletada uma alíquota de cada solução em todos os tempos estudados, completando 36 aferições. Os resultados foram analisados segundo média (±desvio padrão), aplicando análise de variância do tipo ANOVA e modelo de regressão linear multinível, sendo a normalidade testada segundo Kolmogorov-Smirnov e correção de Bonferroni (p≤0,05). Resultados: A metodologia analítica foi validada para a separação e quantificação do cloridrato de vancomicina demonstrando-se seletiva, linear, precisa, exata e robusta. O pH não apresentou variação durante as quatro horas de exposição das soluções, em todas as situações propostas, mantendo sua característica ácida. Nas soluções de cloridato de vancomicina diluído com a finalidade de obter 5 mg/mL e submetidas a temperatura de 22° C, as médias em T0 e T2 foram semelhantes, porém houve redução em T4 (T0=101,93%±1,66; T2=101,45±1,46; T4=100,31%±0,87; p<0,001); a mesma situação foi verificada no experimento a 37° C (T0=106,12%±2,60; T2=106,02±1,43; T4=104,83%± 1,66;p<0,001). A solução do fármaco diluída a 10 mg/mL e exposta a temperatura de 22° C apresentou aumento do teor de T0 para T2, com consecutiva queda em T4 (T0=92,96%±1,38; T2=94,39%±3,69; T4=91,86%±1,1; p=0,006). Para a solução de cloridrato de vancomicina a 10 mg/mL exposta a 37o C a média em T0 foi inferior quando comparada aos demais tempos de análise (T0=96,17%±2,25; T2=97,70%±1,50; T4=97,47%±0,68;p<0,001). Apesar das variações identificadas no teor do fármaco, observou-se estabilidade farmacológica das soluções em decorrência de alteração inferior a 10%. Conclusões: O método cromatográfico para análise do teor do cloridrato de vancomicina foi considerado validado. No intervalo de quatro horas o cloridrato de vancomicina diluído a 5 ou 10 mg/mL apresentou diferenças estatisticamente significantes, porém se manteve estável segundo a proporção de variabilidade aceita para a manutenção da estabilidade farmacológica.
Keywords Intravenous Infusions
Medications Stability
Vancomycin
Pediatric Nursing
Patient Safety.
Infusões Intravenosas
Estabilidade De Medicamentos
Vancomicina
Enfermagem Pediátrica
Segurança Do Paciente
Language Portuguese
Date 2019-09-26
Research area Fundamentos, Métodos, Processos E Tecnologias Em Enfermagem E Saúde (Fmptes)
Knowledge area Enfermagem, Cuidado E Saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 137 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=8113556
Access rights Closed access
Type Thesis
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59934

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account