Delirium na unidade de terapia intensiva: análise das medidas preventivas não farmacológicas e dos fatores de risco

Delirium na unidade de terapia intensiva: análise das medidas preventivas não farmacológicas e dos fatores de risco

Author Bersaneti, Mariana Davies Ribeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Whitaker, Iveth Yamaguchi Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Enfermagem
Abstract Objectives: To verify the association between non-pharmacological strategies (presence of caregiver, mobilization, absence of physical restraint and natural light) and occurrence of delirium; to verify the association of demographic variables, previous health conditions, hospitalization and clinical conditions with delirium, and to identify risk factors for delirium, considering the patients of Intensive Care Unit (ICU). Method: Observational, prospective cohort study performed at the General ICU of the Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, during 2016. The sample included patients older than 18 years, length of ICU stay longer than 24 hours, and who did not present delirium at ICU admission. Delirium was identified through the application of the Confusion Assessment Method for Intensive Care Unit (CAM-ICU). The Mann-Whitney and Chi-square tests were applied to verify the association between the variables studied and delirium. The multivariate logistic regression model using stepwise procedure was used to identify risk factors. The significance level of 5% and 95% confidence intervals were adopted. Results: The sample consisted of 356 patients, 55.9% were males and the median age was 69 years. Delirium was observed in 64 patients (18%). Delirium was associated with the presence of caregiver, mobilization and physical restraint. In addition, the following variables were associated: age, health status before ICU (origin and admission category), hospitalization (length of ICU and hospital stay, discharge from ICU) and clinical conditions (severity of disease and of organic dysfunction, sedation, mechanical ventilation, number of devices). The risk factors associated with delirium were length of ICU stay and age. The protective factors for delirium were the presence of caregiver and mobilization, indicanting that the patient's chance of presenting delirium decreases. Conclusions: The findings pointed to multiple variables associated with delirium in ICU patients, revealing the age and length of ICU stay as risk factors. The presence of caregiver and patient mobilization were identified as protective factors for delirium, which make them important preventive actions that can subsidize the implementation of care programs and safe clinical practices to reduce delirium in the ICU.

Objetivos: Verificar associação entre estratégias não farmacológicas (presença de acompanhante, mobilização, ausência de restrição física e presença de luz natural) e ocorrência de delirium; verificar a associação das variáveis demográficas, condições de saúde prévia, hospitalização e condições clínicas com delirium e identificar fatores de risco para delirium, considerando os pacientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Método: estudo observacional, coorte prospectivo realizado na UTI Geral da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, durante o ano de 2016. A amostra incluiu pacientes maiores de 18 anos, internados por um período maior de 24 horas na UTI e que não apresentavam delirium no momento da admissão. O delirium foi identificado por meio da aplicação do Confusion Assessment Method for Intensive Care Unit (CAM-ICU). Para verificar a associação entre as variáveis estudadas e o delirium foram aplicados o teste de Mann-Whitney e Qui-quadrado. A regressão logística múltipla pelo processo stepwise foi utilizado para identificar os fatores de risco. O nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95% foram considerados. Resultados: A amostra foi constituída de 356 pacientes, 55,9% do sexo masculino e mediana de idade de 69 anos. O delirium foi observado em 64 pacientes (18%). O delirium foi associado à presença de acompanhante, mobilização e restrição física. Além disso, associou-se às variáveis: idade, à condição de saúde antes da UTI (procedência e tipo de paciente), hospitalização (tempo de internação na UTI e no hospital, tipo de saída) e às condições clínicas (gravidade da doença e da disfunção orgânica, sedação, ventilação mecânica, número de dispositivos). Os fatores de risco associados ao delirium foram tempo de internação na UTI e idade. Os fatores protetores para delirium foram a presença de acompanhante e mobilização. Estes achados indicam que a chance do paciente apresentar delirium diminui 88% quando em presença de acompanhante e 95% quando mobilizado. Conclusões: Os achados apontaram múltiplas variáveis associadas ao delirium em pacientes de UTI, revelando a idade e o tempo de internação na UTI como fatores de risco. A presença de acompanhante e mobilização do paciente foram identificados como fatores protetores para delirium, destacando-os como importantes ações preventivas que podem subsidiar a implementação de programas assistenciais e práticas clínicas seguras para redução do delirium na UTI.
Keywords Delirium
Intensive Care Units
Physical Restraint
Early Mobilization
Caregivers.
Delirium
Unidades De Terapia Intensiva
Fatores De Risco
Restrição Física
Mobilização Precoce
Cuidadores.
Language Portuguese
Date 2019-09-26
Research area Cuidado Clínico De Enfermagem E Saúde (Cces)
Knowledge area Enfermagem, Cuidado E Saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 88 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=8108338
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/59929

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account