Adesão ao tratamento, qualidade de vida e aspectos neuropsiquiátricos: uma investigação sobre a interface de fenômenos complexos na experiência de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS

Adesão ao tratamento, qualidade de vida e aspectos neuropsiquiátricos: uma investigação sobre a interface de fenômenos complexos na experiência de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS

Author Portela, Natasha Cabrera Piñeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Zihlmann, Karina Franco Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract Introdução: No cenário do cuidado integral às pessoas vivendo com HIV/Aids (PVHA) várias questões complexas se articulam, como a adesão ao tratamento, a qualidade de vida e aspectos neuropsicológicos. Torna-se necessária uma investigação que possa abarcar interfaces desses fenômenos e permitir uma compreensão mais acurada das vivências objetiva e subjetiva desses sujeitos. Objetivos: Investigar adesão ao tratamento, qualidade de vida e aspectos neuropsiquiátricos (transtornos mentais) de pacientes vivendo com HIV/Aids (PVHA) de um ambulatório de especialidades em DSTs/Aids, bem como analisar a interface entre esses fenômenos do ponto de visa qualitativo e quantitativo. Métodos: Trata-se de um estudo transversal quali-quantitativo, cuja coleta de dados ocorreu entre janeiro de 2016 a julho de 2016 em um ambulatório de especialidade em DST/Aids da região da Baixada Santista. A avaliação foi realizada a partir de uma amostra de conveniência, com um protocolo de avaliação composto por uma entrevista semiestruturada com dados sócio demográficos e roteiro temático; instrumento de avaliação da adesão ao tratamento e ao serviço; instrumento de avaliação da qualidade de vida HIV/Aids – Targeted Quality of Life instrument (HAT-QoL) e o inventário Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI). Resultados e Discussão: Participaram do estudo 84 pessoas PVHA. Observou-se que 57,1% da amostra eram do sexo masculino, com idade média de 47,5 anos (DP = 10,4) A cor branca foi autorreferida por 42,86% dos participantes. Quanto à escolaridade, 38,10% possuíam ensino médio completo. Em relação ao estado civil, 54,76% eram solteiros e 35,71% relataram não ter filhos. Quanto à situação laboral, verificou-se que 36,90% são empregados e 28,57% aposentados. A avaliação socioeconômica aferiu que grande parte pertence à classe C. Em relação ao tempo de diagnóstico, 57,14% dos entrevistados conheciam a sorologia anti-HIV há mais de dez anos e 52,38% eram pacientes da instituição a mais de 10 anos. Cerca de 75% da amostra relataram infecção oportunista passada, mas apenas 8,33% apresentavam infecção oportunista atual. Quanto ao resultado da carga viral, 64,28% dos pacientes possuíam carga viral indetectável (< 40 cópias RNA viral/m). Com relação ao uso da TARV, 52,40% faziam uso dos medicamentos a mais de 10 anos e o número de medicamentos variava de um a quatro medicamentos, sendo que 39,29% tomavam dois tipos medicamentos. Apenas 23,81% sabiam descrever adequadamente o esquema prescrito, relatando os nomes corretos dos medicamentos e as doses indicadas. Além disso, 63,10% pacientes adotam um sistema próprio para saber quais e quantos medicamentos deveriam ingerir e os respectivos horários, mesmo que não soubessem os nomes ou as dosagens conforme receitado. A verificação da prescrição dos esquemas TARV nos prontuários e o cruzamento com as informações colhidas pelo instrumento de avaliação da adesão pudemos observar que estavam em concordância em 85,71% dos autorrelatos. As medidas de adesão mostraram que 86,90% participantes relataram cumprirem o esquema prescrito com níveis de adesão maiores ou iguais a 95%. Com relação à qualidade de vida, os domínios que apresentam a média de escores mais baixos (abaixo de 75 pontos) foram “funções gerais”, “preocupações financeiras”, “preocupação com o sigilo”, “conscientização sobre o HIV” e “atividades sexuais”. Os domínios com as maiores pontuações foram “confiança no profissional” e “preocupações com medicação”. A média de todos os domínios da escala HAT-QoL foi de 66,1 (DP = 20,14). Em relação aos aspectos neuropsiquiátricos verificou-se que 59,52% preencheram os critérios para algum transtorno psiquiátrico. A média de transtornos psiquiátricos atuais por indivíduo foi de 2,4 diagnósticos por paciente. Os diagnósticos mais frequentes foram: episódio depressivo maior atual (52%); episódio depressivo maior recorrente (38%), agorafobia atual (32%) e transtorno de ansiedade generalizada (26%). Risco de suicídio atual foi aferido em 21 pacientes (42%), sendo que o alto risco foi verificado 16% da amostra. Não houve, neste estudo, associação significativa entre adesão ao tratamento e variáveis sociodemográficas. Foram associados significativamente à adesão a adoção de um “sistema próprio” (p=0,0020); presença de transtornos neuropsiquiátricos atuais ou passados (p= 0,0202); número de transtornos neuropsiquiátricos atuais (p=0,0119); episódio depressivo maior atual (p= 0.0486) e síndrome psicótica atual (p=0.0162). No modelo multivariado, somente duas variáveis conjuntamente (“sistema próprio” e “presença de transtornos neuropsiquiátricos atuais ou passados”) foram suficientes para explicar a adesão coerente nos pacientes, sendo que a regressão logística com as variáveis estatisticamente significantes no modelo bivariado mostrou que essas variáveis mantinham significância estatística e independentemente associada à adesão coerente, entretanto a variável “sistema próprio” mostrou-se mais relevante no modelo multivariado. Conclusão: Considerando-se a importância da variável “sistema próprio” para o seguimento do esquema medicamentoso, foi possível identificar a centralidade do protagonismo dos pacientes, em um movimento ativo e criativo que os leva a adesão à terapêutica. Sendo assim, a principal ação voltada para a adesão deve ser um olhar cuidadoso para a forma como os próprios pacientes constroem seu repertório de conhecimentos e estratégias, considerando e valorizando seus pontos de vista singulares.
Keywords HIV/Aids
HIV/Aids – Targeted Quality of Life instrument (HAT-QoL)
Mini International Neuropsychiatric Interview (MINI)
Adesão ao tratamento
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2016-12-01
Published in PORTELA, Natasha Cabrera Piñeiro. Adesão ao tratamento, qualidade de vida e aspectos neuropsiquiátricos: uma investigação sobre a interface de fenômenos complexos na experiência de vida de pessoas vivendo com HIV/AIDS. 2016. 71 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Psicologia) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2016.
Knowledge area Promoção da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 71 f.
Access rights Closed access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/56217

Show full item record




File

Name: monografia Natasha Portela - versão final.pdf
Size: 693.1Kb
Format: PDF
Description: TCC
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account