Automedicação e nível de atividade física no município de Santos-SP

Automedicação e nível de atividade física no município de Santos-SP

Author Santos, Álvaro Carlos de Souza Mendes dos Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Ferreira, Sionaldo Eduardo Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract Sendo a automedicação um problema de Saúde Pública que afeta o Brasil e outros países, este estudo teve por objetivo analisar as principais características deste fenômeno no município de Santos-SP, utilizando como parâmetros para observação, uma entrevista semiestruturada sobre o uso de medicamentos e cuidades gerais a saúde, um questionário sobre o nível de atividade física e um questionário para classificação sócio-econômica. Os dados observados neste estudo podem ser de relevância para a fundamentação de campanhas mais efetivas sobre o uso racional de medicamentos, evitando possíveis efeitos adversos decorrentes da automedicação ou do uso inadequado de fármacos, assim como, incentivar a prática de atividades físicas com vistas à melhora da saúde geral com consequente redução da necessidade do uso de medicamentos, em especial no regime de automedicação. Metodologia: Estudo transversal realizado no município de Santos-SP. Entre 05/03 e 15/08/2011, foram aplicados questionários em uma amostra de 300 indivíduos da população com mais de 18 anos, de ambos os gêneros e nas diferentes fases do ciclo vital. Resultados: A média de idade da amostra foi de 40,8 anos e desvio padrão de 18,8, sendo 50,6% da amostra são do gênero masculino. Entre os que faziam uso de medicamentos sem prescrição médica houve predomínio do uso de anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) (54,0% ) no último ano, (31,0%) no último mês e (19,0%) na última semana. Em relação à prática de atividade física, segundo a classificação do IPAQ, (26,0%) da amostra eram muito ativos, (35,0%) ativos, (22,0%) irregularmente ativos A, (11,0%) irregularmente ativos B e (6,0%) sedentários. Conclusão: Existe grande prevalência de automedicação no grupo de adultos (18-60) anos, sendo os AINEs e antiespasmódicos os mais utilizados. Os sujeitos que mais praticam atividade física são os adultos de ambos os gêneros, entretanto são os que mais fazem uso de medicamentos sem prescrição, enquanto os sujeitos idosos fazem menos atividade física e utilizam mais medicamentos prescritos. Outros estudos deverão ser realizados nesta linha, para identificar com maior nível de detalhamento as possíveis relações entre o nível de atividade física, a fase no ciclo vital e a prática de automedicação.

Being self-medication a public health problem affecting Brazil and other countries, this study aimed to analyze the main characteristics of this phenomenon in the city of Santos, using as parameters for observation, a semi-structured interviews about drug use careful and general health, a questionnaire on the level of physical activity and a questionnaire for socio-economic classification. The data observed in this study may be relevant to the grounds for more effective campaigns on the rational use of drugs, avoiding possible adverse effects arising from self-medication or inappropriate use of drugs, as well as encouraging physical activity with a view to improving general health with a consequent reduction in the need of medication, especially in the regime of self-medication. Methodology: A survey was conducted in the city of Santos - SP. Between 05/03 and 15/08/2011, questionnaires were filled in a sample of 300 individuals in the population starting at 18 years of both genders and life cycle phases. Results: The average age of the sample was 40.8 years and standard deviation of 18.8, 50.6% of the sample is male. Among those who used non-prescription drugs were mostly in the use of nonsteroidal anti-inflammatory drugs (AINEs) (54.0%) last year (31.0%) in the past month (19.0%) in last week. Regarding physical activity, according to the classification of IPAQ (26.0%) of the sample were very active (35.0%) active (22.0%) irregularly active A, (11.0%) irregularly active, and B (6.0%) sedentary. Conclusion: There is high prevalence of self-medication in the group of adults (18-60) years, AINEs and antispasmodics the most used. The subjects who practicephysical activity are more adults of both genders but they are the ones that make use of nonprescription medications, while the older subjects do less physical activity, sedentary approaching, but use many prescription drugs. Others studies are needed to verify with more details the possible relationships between exercise, aging and self-medication
Keywords Automedicação
Atividade física
Saúde
Classe socioeconômica
Self Medication
Motor Activity
Health
Socioeconomic class
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2011-12-14
Published in SANTOS, Álvaro Carlos de Souza Mendes dos. Automedicação e nível de atividade física no município de Santos-SP. 2011. 32 f. Trabalho de conclusão de curso de graduação (Educação Física) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2011.
Knowledge area Promoção da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 32 f.
Access rights Open access Open Access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/51797

Show full item record




File

Name: ALVARO SANTOS.pdf
Size: 452.9Kb
Format: PDF
Description: TCC completo
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account