Prevalência De Episódio Depressivo Maior, Transtorno Depressivo Menor E Uso De Antidepressivos Em Idosos Ambulatoriais

Prevalência De Episódio Depressivo Maior, Transtorno Depressivo Menor E Uso De Antidepressivos Em Idosos Ambulatoriais

Author Santana, Alexandre Constantino De Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Gagliardi, Anna Maria Zaragoza Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Tecnologias E Atenção À Saúde
Abstract Introduction: Depression is a frequent issue in the elderly. O bjectives: To identify the depression prevalence in outpatient older adults of a Geriatrics ambulatory. M ethods: Crosssectional study using medical records to obtain social, geriatrics and neuropsychiatric data. Depressive symptoms were evaluated by 15 itemGeriatric Depression Scale and D iagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 4th edition. R esults: Fifty seven medical records had a mean age of 74.3 years, predominantly female (63.4%). The average education was 5.7 years, and the group with schooling between 1 and 4 study years accounted for 43.7% of the sample. Average for Basic ADLs was 5.6 points and for Instrumental ADLs was 24 points. The average score GDS15 was 3.9 points and 35.1% screened positive in the sample. Criteria for minor depression were met in 15.8% and for major depression in 8.8%. Antidepressants were prescribed for 15.8% and psychotherapy indicated for 1.8% of the patients. C onclusions: The geriatric population studied showed high prevalence of depression screening by the GDS15 (35.1%), but only 8.8% met criteria for major depression by the DSMIV. The use of antidepressants (15.8%) represented about eight times more than psychotherapy prescriptions (1.8%).

Introdução: A depressão é um problema frequente em idosos. O bjetivos: Identificar a prevalência de depressão em idosos atendidos em ambulatório de Geriatria. M étodos: Estudo transversal com revisão de prontuários para obtenção de dados sociais, geriátricos e neuropsiquiátricos. Os sintomas depressivos foram avaliados pela Escala de Depressão Geriátrica resumida de 15 itens (GDS15) e pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, quarta edição (DSMIV). R esultados: A amostra obteve registros de 57 prontuários de idosos com média de idade de 74,3 anos, majoritariamente do sexo feminino (63,4%). A média de escolaridade encontrada foi de 5,7 anos, e o grupo com escolaridade entre 1 e 4 anos representou 43,7% da amostra. A média para Atividades Básicas de Vida Diária foi de 5,6 pontos e para Atividades Instrumentais de Vida Diária foi de 24 pontos. A pontuação média do GDS15 foi de 3,9 pontos e a triagem positiva encontrada em 35,1% da amostra. Pelos critérios do DSMIV, preencheram critério para depressão menor 15,8% e para depressão maior 8,8%. Receberam prescrição de antidepressivos 15,8% e indicação de psicoterapia 1,8%. C onclusões: a população geriátrica estudada apresentou alta prevalência de rastreio pelo GDS15 para depressão com 35,1%, mas apenas 8,8% com critérios para depressão maior pelo DSMIV. O uso de antidepressivos representou cerca de oito vezes mais indicação de psicoterapia.
Keywords Depression
Elderly
Depressão
Idosos
Language Portuguese
Date 2017-03-29
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 56p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=6293477
Access rights Closed access
Type Article
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50906

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account