Ingestão Alimentar Entre Crianças E Adolescentes Com Excesso De Peso: O Que Mostra O Perfil De Ácidos Graxos Da Dieta Em Relação Ao Grau De Processamento De Alimentos

Ingestão Alimentar Entre Crianças E Adolescentes Com Excesso De Peso: O Que Mostra O Perfil De Ácidos Graxos Da Dieta Em Relação Ao Grau De Processamento De Alimentos

Author Almeida, Viviane Bellucci Pires De Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Domene, Semiramis Martins Alvares Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Alimentos, nutrição e saúde
Abstract Diet for overweight children and adolescents is aimed at reducing adipose tissue without compromising the supply of nutrients and bioactive compounds necessary for growth and development. It has been shown that fat intake greater than 35% of dietary energy, with more than 8% saturated fat and 1% trans fat, constitutes a risk factor for chronic diseases. The effects of excess fat intake include an increase in energy density and stimulation of the inflammatory processes related to obesity. The Food Guide for the Brazilian Population highlights the health benefits associated with reducing consumption of ultra-processed foods. However, little is known about dietary fatty acids and food intake as related to the extent of food processing in these life stages. Objective. To analyze the diet of overweight children and adolescents and to assess the association between dietary variables, especially the intake of fatty acids that have been identified as potential modulators of inflammation, according to the extent of food processing. Method. Cross-sectional study based on convenience sampling of 149 overweight schoolchildren ages 8 to 11 in the city of São Paulo. Selected individuals were overweight, with Body Mass Index for age Z score >1. The sample was composed of 149 students and food intake was estimated from responses to an Eating Frequency Questionnaire; the data were processed by the NDS program, which produced the energy and nutrient estimates. The foods were organized in accordance with the NOVA system, which classifies food based on the extend of industrial processing. The difference between the means were tested using Student’s t-test (for categorical variables) or Anova (for variables with more than two categories), using a significance level of 5%. Results: The average age of students was 9.6 years. The average daily energy intake was 2,032 Kcal. Carbohydrates supplied 51.2% of total energy, while proteins accounted for 15.5% and fats 33.3%. The components with the highest prevalence of inadequate intake were calcium and vitamin E (> 81%); vitamin D (> 94%) and saturated fat, dietary fiber and added sugar (> 97%). Approximately 20% of subjects had omega 6:3 ratios above 10:1. All students consumed more omega 6 than recommended and more sodium than the maximum tolerable amount. Among the intake tertiles in group 1 (raw/ minimally processed foods), higher consumption was associated with an increase in the intake of n6 and n3, with a significant reduction in the n6:n3 ratio, while for the tertiles in group 3 (ultra-processed foods), there was a significant increase in both the intake of omega 6 and 3, as in the n6:n3 ratio. Ultra-processed foods represented 36% of total dietary energy intake.

A alimentação de crianças e adolescentes com excesso de peso visa a diminuição do tecido adiposo sem comprometer a oferta de nutrientes e compostos bioativos necessários ao crescimento e desenvolvimento. Já se demonstrou que a ingestão de lipídeos superior a 35% da energia da dieta, com mais de 8% de gordura saturada e 1% de gorduras trans representa risco para doenças crônicas. Entre os efeitos do excesso de gordura, estão a elevação da densidade energética e o estímulo aos processos inflamatórios que acompanham a obesidade. O Guia Alimentar para a População Brasileira destaca os benefícios à saúde associados à redução do consumo de alimentos ultraprocessados. Contudo, pouco se sabe sobre o perfil de ácidos graxos e a ingestão de alimentos segundo o seu grau de processamento nestes estágios de vida. Objetivo. Analisar a alimentação de crianças e adolescentes com excesso de peso e verificar associação entre variáveis alimentares, em especial a ingestão de ácidos graxos com potencial modulador da inflamação segundo o grau de processamento dos alimentos. Método. Trata-se de um estudo de corte transversal com amostragem por conveniência obtida a partir de escolares de 8 a 11 anos do município de São Paulo. Foram selecionados indivíduos com excesso de peso, Índice de Massa Corporal para idade >1 escore z. A amostra foi composta por 149 estudantes e a ingestão alimentar foi estimada a partir da aplicação de Questionário de Frequência Alimentar quantitativo; os dados foram processados pelo programa NDS para a estimativa de energia e nutrientes. Os alimentos foram organizados segundo a NOVA, classificação que considera o grau de processamento dos alimentos. As diferenças entre as médias foram testadas por meio do Teste “t” Student (para variáveis categóricas) ou Anova (para variáveis com mais de duas categorias), assumindo-se um nível de significância de 5%. Resultados. A média de idade dos escolares foi de 9,6 anos. O consumo médio diário de energia foi 2.032 Kcal. Os carboidratos forneceram 51,2% da energia total, as proteínas 15,5% e as gorduras 33,3%. As maiores prevalências de inadequação foram observadas para cálcio e vitamina E (> 81%); vitamina D (> 94%) e gordura saturada, fibra alimentar e açúcar de adição (> 97%). Aproximadamente 20% dos participantes apresentou valores da razão ômega 6:3 superiores a 10:1, todos os escolares apresentaram ingestão de ômega 6 acima do recomendado e consumo de sódio superior à quantidade máxima tolerável. Entre os tercis de consumo do grupo1, alimentos in natura/minimamente processados, o maior consumo foi acompanhado de aumento da ingestão de n6 e n3, com uma redução significativa do valor da razão n6:n3, em contrapartida, no tercis do grupo 3, alimentos ultraprocessados, o aumento foi significativo tanto para a ingestão de ômegas 6 e 3, quanto para a proporção n6:n3. O consumo de alimentos ultraprocessados representou 36% do total da energia da dieta.
Keywords Children And Adolescents
Overweight
Food Intake
Dietary Recommendations
Dietary Fatty Acids
The Extent Of Food Processing
Crianças E Adolescentes
Excesso De Peso
Ingestão E Consumo Alimentar
Recomendações Nutricionais
Perfil De Ácido Graxo Da Dieta
Grau De Processamento De Alimentos
Language Portuguese
Date 2017-04-26
Research area Ciência De Alimentos E Saúde
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 223p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5013204
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50805

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account