Miosite De Corpos De Inclusão: Correlação Dos Achados Na Ressonância Magnética Com Parâmetros Clínicos E Funcionais

Show simple item record

dc.contributor.advisor Fernandes, Artur Da Rocha Correa [UNIFESP]
dc.contributor.author Guimaraes, Julio Brandao [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2019-06-19T14:57:29Z
dc.date.available 2019-06-19T14:57:29Z
dc.date.issued 2017-08-17
dc.identifier https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5435396 pt
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50138
dc.description.abstract Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar os achados de ressonância magnética (RM) em pacientes com o diagnóstico definitivo de miosite de corpos de inclusão (MCI) e correlacionar com parâmetros clínicos e funcionais. Material e métodos: Este estudo incluiu 12 pacientes com MCI comprovada por biópsia. Todos os pacientes foram submetidos a estudo por ressonância magnética (RM) de ambos os membros superiores e inferiores. As imagens foram avaliadas para atrofia muscular, infiltração de gordura e padrão de edema. Os dados clínicos incluíram o início e a duração da doença; a força muscular foi medida usando a escala Medical Research Council (MRC) e o estado funcional foi avaliado utilizando a Escala de Rankin Modificada (mRS). As correlações entre os achados da RM e os diferentes parâmetros clínicos e funcionais foram calculados usando o Teste Spearman e correlação de Pearson. Resultados: Todos os pacientes apresentaram anormalidades no estudo por RM, mais graves nos membros inferiores e nos segmentos distais. O achado de RM mais prevalente foi a infiltração de gordura. Houve correlação estatisticamente significativa entre a duração da doença e o número de músculos infiltrados por gordura (r = 0,65, P = 0,04). O número de músculos com infiltração de gordura correlacionou-se com a soma dos escores de MRC (r = -0,60, p = 0,04) e com mRS (r = 0,48, p = 0,03) e o número de músculos com atrofia também correlacionou-se com a soma dos escores de MRC (r = -0,58, p = 0,04). Conclusão: Nossos resultados sugerem que a maioria dos pacientes com biópsia comprovada e diagnóstico definitivo de MCI apresentam um padrão típico de envolvimento muscular na ressonância magnética, mais extenso nos membros inferiores. Além disso, os achados de RM se correlacionaram fortemente com os parâmetros clínicos e funcionais, uma vez que quanto maior o envolvimento e gravidade do comprometimento muscular na RM, pior são os parâmetros clínicos e funcionais desses pacientes. en
dc.description.abstract Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar os achados de ressonância magnética (RM) em pacientes com o diagnóstico definitivo de miosite de corpos de inclusão (MCI) e correlacionar com parâmetros clínicos e funcionais. Material e métodos: Este estudo incluiu 12 pacientes com MCI comprovada por biópsia. Todos os pacientes foram submetidos a estudo por ressonância magnética (RM) de ambos os membros superiores e inferiores. As imagens foram avaliadas para atrofia muscular, infiltração de gordura e padrão de edema. Os dados clínicos incluíram o início e a duração da doença; a força muscular foi medida usando a escala Medical Research Council (MRC) e o estado funcional foi avaliado utilizando a Escala de Rankin Modificada (mRS). As correlações entre os achados da RM e os diferentes parâmetros clínicos e funcionais foram calculados usando o Teste Spearman e correlação de Pearson. Resultados: Todos os pacientes apresentaram anormalidades no estudo por RM, mais graves nos membros inferiores e nos segmentos distais. O achado de RM mais prevalente foi a infiltração de gordura. Houve correlação estatisticamente significativa entre a duração da doença e o número de músculos infiltrados por gordura (r = 0,65, P = 0,04). O número de músculos com infiltração de gordura correlacionou-se com a soma dos escores de MRC (r = -0,60, p = 0,04) e com mRS (r = 0,48, p = 0,03) e o número de músculos com atrofia também correlacionou-se com a soma dos escores de MRC (r = -0,58, p = 0,04). Conclusão: Nossos resultados sugerem que a maioria dos pacientes com biópsia comprovada e diagnóstico definitivo de MCI apresentam um padrão típico de envolvimento muscular na ressonância magnética, mais extenso nos membros inferiores. Além disso, os achados de RM se correlacionaram fortemente com os parâmetros clínicos e funcionais, uma vez que quanto maior o envolvimento e gravidade do comprometimento muscular na RM, pior são os parâmetros clínicos e funcionais desses pacientes. pt
dc.format.extent 122p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject Myositis en
dc.subject 2 Nuclear Magnetic Resonance en
dc.subject Atrophy en
dc.subject Myositis Of Inclusion Bodies en
dc.subject Miosite pt
dc.subject 2 Ressonância Magnética Nuclear pt
dc.subject Atrofia pt
dc.subject Miosite De Corpos De Inclusão pt
dc.title Miosite De Corpos De Inclusão: Correlação Dos Achados Na Ressonância Magnética Com Parâmetros Clínicos E Funcionais pt
dc.type Tese de doutorado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file 2017-0290.pdf
dc.description.source Dados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2017)
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina pt
unifesp.graduateProgram Medicina (Radiologia Clínica) pt
unifesp.knowledgeArea Diagnóstico Por Imagem pt
unifesp.researchArea Diagnóstico Por Imagem E Terapia Do Sistema Musculoesquelético pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account