Correlação da ingestão de macronutrientes com bactérias da microbiota intestinal de adultos obesos

Correlação da ingestão de macronutrientes com bactérias da microbiota intestinal de adultos obesos

Alternative title Correlation of macronutrient intake with gut microbiota bacteria of obese adults
Author Dias, Gabriela Correia Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Pisani, Luciana Pellegrini Autor UNIFESP Google Scholar
Abstract Recentes evidências sugerem que as mudanças na diversidade e abundância dos componentes da microbiota intestinal no nível de filo, gênero ou espécie (disbiose) podem promover ou agravar doenças, como por exemplo, a obesidade (TREMAROLI; BÄCKHED, 2012). Essas evidencias apresentam uma mudança revolucionaria em relação à microbiota intestinal como um agente importante na saúde humana, em vez de ser apenas comensal (PORTUNE et al., 2016). A microbiota contribui para alguns processos, como a digestão, síntese de vitaminas e absorção (BAOTHMAN et al., 2016). Atualmente, sabe-se que a microbiota intestinal é um fator ambiental capaz de aumentar o rendimento energético a partir da dieta e de regular o metabolismo periférico, podendo resultar em ganho de peso (FIOCCH; SOUZA, 2012; CANI et al., 2012). Bactérias como Bifidobaterium spp. e Lactobacillus spp. podem contribuir para a saúde humana, melhorando a função da barreira intestinal, modulação do metabolismo de lipídios, prevenção de diarreia ou alergias, participação na ativação de provitaminas e aumento da secreção de muco, modulando a resposta intestinal imunológica através de estímulo de citocinas (JAMAR; ESTADELLA; PISANI, 2017). No entanto, há outras espécies de bactérias associadas com as implicações negativas, tais como Clostridium difficile, Clostridium perfringens, Clostridium clostridioforme, Escherichia coli, Neisseria meningitidis, Fusobacterium varium, (TSUDA, 2016). A ecologia da microbiota intestinal é afetada por muitos fatores, tais como enfermidades, medicamentos e dieta, sendo a última o principal contribuinte para a diversidade bacteriana (BAOTHMAN et al., 2016). Mesmo que a microbiota intestinal seja relativamente estável em indivíduos saudáveis, alterações de curto prazo na dieta têm demonstrado uma rápida alteração na composição microbiana, o que pode ocorrer em 24 h após a intervenção com dieta (DAVID et al., 2013; PORTUNE et al., 2016). Frente ao exposto, o objetivo deste estudo é correlacionar a ingestão de macronutrientes com algumas bactérias da microbiota intestinal de adultos obesos.
Keywords Obesidade
ácidos graxos
bactérias intestinais
xmlui.dri2xhtml.METS-1.0.item-coverage ISS
Language Portuguese
Date 2018-12-10
Published in DIAS, Gabriela Correia. Correlação da ingestão de macronutrientes com bactérias da microbiota intestinal de adultos obesos. 2018. 7 p. TCC (Graduação - Nutrição) -- Instituto Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2018.
Knowledge area Nutrição
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 07 p.
Access rights Closed access
Type Trabalho de conclusão de curso de graduação
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/49750

Show full item record




File

Name: GabrielaDias_ResumoExpandido 2018.pdf
Size: 219.6Kb
Format: PDF
Description: Resumo Expandido TCC
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account