Avaliação da atividade hemolítica do componente c2 do complemento em pacientes infectados com hcv

Avaliação da atividade hemolítica do componente c2 do complemento em pacientes infectados com hcv

Author Faria, Atila Granados Afonso de Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Andrade, Luiz Eduardo Coelho Andrade Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ciências da Saúde Aplicadas à Reumatologia
Abstract Introdução: Observamos em nossa rotina no laboratório clínico que alguns pacientes com hepatite C apresentavam atividade hemolítica de C2 (C2h) reduzida sem aparente consumo de outros componentes do Sistema Complemento (SC), despertando interesse para maior entendimento desse fenômeno e da sua possível participação na fisiopatologia da infecção. O objetivo do projeto foi dimensionar o fenômeno de diminuição isolada de C2h em pacientes infectados com HCV e procurar estabelecer suas bases causais, bem como sua possível relação com manifestações autoimunes e com parâmetros clínicos. Material e Métodos: Foram sequencialmente selecionadas 1023 amostras de soro provenientes de 726 pacientes infectados com HCV que deram entrada com pedidos de exames no laboratório de rotina de Imuno-Reumatologia da EPM/UNIFESP entre os anos de 2008 e 2012. O estudo do Sistema Complemento (SC) foi feito por imunohemólise radial para CH100 e C2h e por quantificação por imunodifusão radial dos componentes C2, C4, C3 e Fator B. Foi feita a pesquisa de autoanticorpos e a quantificação de crioglobulinas. A carga viral foi determinada por qRT-PCR. Os demais parâmetros clínicos e laboratoriais foram obtidos a partir do prontuário estruturado dos pacientes e foram utilizados para o cálculo do índice APRI (aspartate aminotransferase-to-platelet ratio index). Resultados: As amostras de soro foram divididas em três grupos de acordo com os níveis de C2h: 154 (15,1%) com C2h Não detectada (<30% atividade), 154 (15,1%) com C2h Diminuída (31 a 70% de atividade) e 715 (69,8%) com C2h normal (> 70% atividade). O grupo C2h Não detectada teve menores valores de concentração sérica de C2, C3 e C4, embora os valores de C3 e C4 estivessem dentro do intervalo de referência na maior parte dos casos. Análise de amostras sequenciais de 189 pacientes mostrou que a diminuição de C2h é um fenômeno transitório. Pacientes com C2h Não detectada tiveram maiores níveis séricos de enzimas hepáticas [AST 2,13±1,74 vezes acima do limite superior de normalidade (LSN) e ALT 2,29±2,15 LSN] e menores níveis séricos de albumina (4,0±0,6 g/dL) e plaquetas (160±75 x103 /mm3 ) quando comparados aos pacientes com C2h normal [AST 1,42±1,23 LSN p<0.001; ALT 1,52±1,39 LSN; p=0,03; albumina 4,2±0,5 g/dl p=0,01; plaquetas 186±87 x103 /mm3 p = 0,012], além de maior frequência de crioglobulinemia que o grupo C2h normal (12% e 0,8% respectivamente; p<0,001), menos indivíduos com carga viral não detectada (10% versus 43%; p = 0,006), maiores valores para o índice APRI (2,0±2,3 versus 1,0±1,2, p < 0,001) e mais indivíduos na etapa de pré-tratamento. Os ensaios de interação in vitro de crioglobulinas com soro normal indicaram que se trata de fenômeno induzido por crioglobulinas de forma dose- xix dependente. Não houve relação com outros parâmetros clínicos e laboratoriais (idade, gênero, via de infecção, genótipo viral, presença de doença renal, coinfecção viral, carga viral, tipo de tratamento, atividade de protrombina e presença de autoanticorpos). Conclusão: Ocorre o fenômeno de diminuição preferencial da C2h em 30% dos pacientes infectados com HCV. Esse fenômeno é transitório e é determinado primariamente pela interação com crioglobulinas circulantes, mas talvez seja também modulado por comprometimento parcial da função hepática. A participação de crioglobulinas neste fenômeno ocorre aparentemente por ativação do SC pela via Clássica. A dissociação de resultados do C2h em relação aos demais exames de avaliação do SC, que se mostram normais, possivelmente ocorre por um conjunto de fatores, incluindo a menor concentração plasmática constitucional de C2 em comparação com os demais componentes do SC, bem como o fato de que o ensaio funcional por imunohemólise é provavelmente mais sensível que os métodos de quantificação dos componentes proteicos do SC. Ademais, as associações clínicas encontradas sugerem que o ensaio funcional C2h se apresenta como um método potencialmente útil para detecção de pacientes com ativação moderada do SC por crioglobulinas e comprometimento hepático mais intenso.
Keywords sistema complemento
componente c2 do complemento
hcv
crioglobulinas
via clássica
Language Portuguese
Date 2015-10-28
Published in FARIA, Atila Granados Afonso de. Avaliação da atividade hemolítica do componente c2 do complemento em pacientes infectados com hcv. 2015. 108 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 108 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2576009
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48930

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account