Efeito do ramipril sobre a função endotelial e células progenitoras endoteliais em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico

Efeito do ramipril sobre a função endotelial e células progenitoras endoteliais em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico

Author Oliveira, Ana Cecilia Diniz Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Sato, Emilia Inoue Sato Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina Translacional
Abstract Introdução: As doenças cardiovasculares (DCV) são causa de morbimortalidade no LES. A disfunção endotelial e o número reduzido de células progenitoras endoteliais (EPCs) são alguns dos fatores que contribuem para o aumento dos eventos coronarianos nos pacientes com LES. Em pacientes com doença coronariana, o uso de inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA), como o ramipril, mostrou redução da morbimortalidade cardiovascular. Não há estudo que tenha avaliado o efeito do ramipril sobre a função endotelial e EPCs em pacientes com LES. Objetivos: Avaliar o efeito do ramipril sobre a função endotelial e o número de EPCs. Métodos: 41 pacientes com LES (>18anos) e sem fatores de risco cardiovascular, foram divididas randomicamente em 2 grupos: grupo intervenção (GI) que recebeu 10mg/dia de ramipril por 12 semanas e grupo controle (GC), sem intervenção. A função endotelial foi avaliada através de ultrassonografia da artéria braquial, com medidas da vasodilatação mediada pelo fluxo (VMF) e vasodilatação induzida pela nitroglicerida (VMN) nos tempos zero e após 12 semanas. As EPCs foram quantificadas por citometria de fluxo e cultura celular. Análise estatística: Foi utilizado o programa SPSS for Windows versão 17 (SPSS Inc). Os dados foram apresentados como média e desviopadrão. A análise foi intent to treat . Foi utilizado o teste t de Student para variáveis com distribuição normal e o teste exato de Fisher para variáveis categóricas. O ANOVA de medidas repetidas foi usado para a comparação intragrupo e intergrupos. Valor de p<0,05 foi considerado significante. Resultados: 37 pacientes com LES foram randomizados, 18 no GI e 19 no GC. Todos os pacientes foram do sexo feminino. Não houve diferença nas características basais entre os dois grupos em relação a idade, duração de doença, pressão arterial, níveis de LDL colesterol, IMC, VMF , uso de imunossupressores e SLEDAI. Houve aumento significativo da VMF no GI (6.17±4.18% vs 11.14±5.4%, p<0.001), sem diferença no GC ( 5.37±3.91% vs 5, 02±3.62%, p=0.630), após 12 semanas. Foi observado aumento do número de unidades formadoras de colônia de EPCs no GI (21.3±10.4 vs 31.6±8.5, p<0.001), sem diferença no GC (24.8±13.5 vs 25.8±11.6, p=0.714). Não houve diferença em relação ao número de EPCs quando avaliadas por citometria de fluxo no GI (0.013±0.025 vs 0.02±0.03 p=0.734) e no GC (0.0175±0.024 vs 0.012±0.016, p=0.734).Conclusão: O ramipril melhorou a função endotelial e aumentou o número de EPCs avaliadas por cultura celular de pacientes com LES e sem fatores de risco cardiovascular.
Keywords lúpus eritematoso sistêmico
endotélio
ramipril
Language Portuguese
Date 2013-10-30
Published in OLIVEIRA, Ana Cecilia Diniz. Efeito do ramipril sobre a função endotelial e células progenitoras endoteliais em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico. 2013. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1182222
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48673

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account