Laser infravermelho (830nm) na viabilidade das zonas i e iv do retalho musculofasciocutâneo transverso do musculo reto do abdome em ratos

Laser infravermelho (830nm) na viabilidade das zonas i e iv do retalho musculofasciocutâneo transverso do musculo reto do abdome em ratos

Author Sheliga, Tatiana Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Ferreira, Lydia Masako Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Cirurgia Translacional
Abstract O retalho cutâneo é dos procedimentos cirúrgicos mais frequentemente utilizado na cirurgia plástica e reconstrutiva, devido ao seu potencial de suprir funções e estética (KERRIGAN, 1983; FERREIRA & FERREIRA, 2003; ELY & FERREIRA et al., 2003). O retalho musculofasciocutâneo transverso do musculo reto do abdome (TRAM flap – Transverse Rectus Abdominis Musculocutaneous flap) tem sido aceito como fonte de tecido autógeno para a reconstrução mamaria, pois mostra ser seguro devido ao maior suprimento do fluxo sanguíneo e grande tecido para reconstrução de perdas de partes moles (HARTRAMPF et al., 1982; MIZGALA et al., 1994; VEIGA et al., 2002; NAHABEDIAN et al., 2002; SCHEER et al., 2006; KOKUBA et al., 2008; VEGA et al., 2008; ELY et al., 2009). Alguns estudos que relatam a diferença na viabilidade do retalho TRAM em relação as suas zonas, sendo que a zona III é pobre em suprimento sanguineo, a zona I sugere ter vascularidade superior à zona IV que implica em complicações na viabilidade do retalho (YAMAGUCHI et al., 2004, ÖZKAN et al., 2005; KIM et al., 2007; SELBER et al., 2008; WRONG et al., 2009). HALLOCK, 2001 e HALLOCK & RICE (2004), ao estudar a fisiologia de diferentes tipos de retalhos TRAM convencional, DIEP com múltiplos vasos e DIEP com um único vaso com laser Doppler em ratos, observaram que a Zona I do retalho TRAM convencional demonstrou um fluxo sanguíneo mais alto e o fluxo da zona IV foi proporcionalmente baixo para todos que implica em complicações na viabilidade do retalho. O desenvolvimento de modelos experimentais possibilitou o estudo mais aprofundado do retalho musculofasciocutâneo transverso do reto do abdome (DUNN et al., 1993; ÖZGENTAS et al., 1994; LIN et al., 2001; ÖZKAN et al., 2005). Entretanto, algumas complicações do TRAM podem estar relacionadas, com a integridade da parede abdominal e inadequada perfusão, resultando em necrose parcial ou total do retalho e consequentemente falha do tratamento (KROLL et al., 1995; VEIGA et al., 2004; GARCIA et al., 2004; ROSSETTO et al., 2009 e 2010). Nesse caso, novas intervenções operatórias são necessárias, aumentando o tempo de retorno desses pacientes às atividades de vida diárias (PRADO et al., 2006; PINFILDI et al., 2009; COSTA et al., 2009). Complicações na viabilidade do retalho podem levar a isquemia ou congestão venosa por várias causas, como: infecção, inflamação, arteriosclerose, hipotensão e pouca nutrição. As causas locais são: compressão, tensão, trombos ou torção no pedículo. Porém, a insuficiência arterial do retalho, pode estar relacionada à secção de vasos cutâneos e de terminais nervosos simpáticos, à elevação do retalho, que podem provocar a diminuição do fluxo sangüíneo ao longo do mesmo podendo levar a necrose total ou parcial do retalho (MCFARLANE et al., 1965; KERRIGAN et al., 1983; SANO et al., 2001; HART et al., 2006; HALLOCK et al., 2008; DONCATTO et al., 2007; BOOI et al., 2008; ANDRADES et al., 2008). Na tentativa de evitar a perda do retalho e ou suas complicações, várias pesquisas com modelos experimentais e estudos clínicos possibilitaram a comparação entre diferentes tipos de retalhos TRAM baseado em diferentes territórios vasculares e associado à utilização de fármacos (KAMI et al., 1985; KUBOTA et al., 1989 e 1996; HALLOCK & RICE, 1998; NAHABEDIAN et al., 2001; ABLA et al., 2005; ASSIS et al., 2006; GARVEY et al., 2006; TYNER et al., 2006; NETO et al., 2008; PRADO et al., 2009; KOBAYASHI et al., 2009; VEIGA et al., 2010; FREITAS et al., 2010). Desta maneira, alternativas não farmacológicas são pesquisadas para evitar complicações no procedimento de reconstrução, tais como a acupuntura e eletroacupuntura, correntes elétricas de baixa freqüência polarizadas e despolarizadas, laser de baixa intensidade, laser de baixa intensidade flash lamp pulsed-dye e o laser de baixa intensidade shockwave (KUBOTA & OSHIRO, 1996; NIINA et al., 1997; COHEN et al., 1999; PINFILDI et al., 2005; LIEBANO et al., 2006; PRADO et al., 2006; YAN et al., 2008; PINFILDI et al., 2009; COSTA et al., 2009; CURY et al., 2009). Os efeitos terapêuticos da utilização do laser de baixa intensidade (LLLT) foram relatados inicialmente por MESTER et al., (1971), e tem merecido destaque pela facilidade de aplicação e pelos resultados satisfatórios (KUBOTA et al., 1985; MAEGAWA et al., 2000). De acordo com BAXTER et al., (1991), WOODRUFF et al., (2004) e (ORTIZ et al., 2001), há um aumento das pesquisas no campo da laserterapia em relação ao laser diodo com diversos comprimentos de onda, pela facilidade de fabricação e baixo custo. Entretanto, há varias discrepâncias na literatura a respeito do uso de parâmetros do laser devido sua ampla variedade de doses, tão bem quanto discordância sobre quais os locais são mais efetivos para sua aplicação. Sendo que os primeiros estudos com o laser foram em retalho cutâneo randômico dorsal em ratos, onde o estudo de PRADO et al., (2006) foi importante para definir o ponto de aplicação mais eficaz, no pedículo do retalho. Já PINFILDI et al., (2009), utilizou este ponto de aplicação sobre o pedículo, porém em retalho TRAM. (KUBOTA & OSHIRO, 1989; BAXTER et al., 1991; KUBOTA & OSHIRO, 1996; PRADO et al., 2009). Estudos demonstraram que o laser pode aumentar a viabilidade do retalho pela proliferação de novos vasos sanguíneos (neoangiogenese) ao redor da irradiação local, tão bem quanto pelo aumento da perfusão sanguínea que é parte essencial do processo de reparo tecidual. Esses resultados foram encontrados por diversos autores, tanto em doses baixas de 3 e 6J/cm² quanto em doses mais altas como 24, 72 e 144J/cm² (KAMI et al., 1985; GOURGOULIATOS et al., 1991; SMITH et al., 1992; KUBOTA & OSHIRO, 1996; AMIR et al., 2000; IHSAN et al., 2005; VASHEGHANI et al., 2008; BOSSINI et al., 2009; PINFILDI et al., 2009). Os efeitos do laser são baseados na estimulação da atividade mitocondrial pela luz, que aumenta a proliferação celular, promove a absorção do tecido lesado, e aumenta a conversão de miofibroblastos em fibroblastos, podendo explicar o aumento da área de sobrevivência do retalho cutâneo após a irradiação da terapia a laser (KUBOTA, 2002; STADLER et al., 2004; PINFILDI et al., 2005; CORAZZA et al., 2007; BOSSINI et al., 2009). Na busca pela literatura relevante para esse estudo, foi encontrada o primeiro estudo que examinou o efeito da irradiação laser diodo em modelo de retalho cutâneo axial em ratos, onde encontrou resultados positivos no aumento da perfusão vascular. E o primeiro estudo a verificar o efeito do laser em retalho TRAM, encontrando resultados positivos no aumento da viabilidade desse retalho. Sendo ainda controverso qual é melhor dose e comprimento de onda capaz de aumentar a viabilidade do retalho (KUBOTA, 2002; PINFILDI et al., 2009). Atualmente há necessidade de estudos que buscam definir o ponto de aplicação mais eficaz e parâmetros da aplicação da terapia laser de baixa intensidade, permitindo uma maior viabilidade do retalho musculofasciocutâneo transverso do reto do abdome (TRAM) em ratos.
Keywords laser infravermelho
musculofasciocutãneo
Language Portuguese
Date 2014-03-31
Published in SHELIGA, Tatiana Rodrigues. Laser infravermelho (830nm) na viabilidade das zonas i e iv do retalho musculofasciocutâneo transverso do musculo reto do abdome em ratos. 2014. 69 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 69 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1006394
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48645

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account