Avaliação da visão e de três poses de ballet na pressão plantar e no equilíbrio de bailarinas amadoras com e sem experiência em sapatilha de ponta: um estudo transversal

Avaliação da visão e de três poses de ballet na pressão plantar e no equilíbrio de bailarinas amadoras com e sem experiência em sapatilha de ponta: um estudo transversal

Author Mourao, Camila Baldini Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Silva, Maria Stella Peccin da Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Abstract Ballet is an art expressed by movements and dancers are responsible for expression, being considered as artists and athletes at the same time. Since childhood mirros are used for learning and to improve aesthetics. Pointe shoes are working tools aesthetically chosen to allow movement executions of dancers. Its use compresses the feet and limited the foot contact areas extension. The pointe shoes work starts at the age between 9 and 15 year old, the same period that a decrease in motor ability and balance occurs. Objective: The aim of this study was to describe the effects of the visual information on dancers with and without pointe shoes experience plantar pressure and balance during a execusion of three ballet poses. Methods: A total of 23 dancers, aged 12,5 (±4,64) year old answered a questionnaire about personal data, training features and previous injury historic related to ballet practice and held three different poses, without using shoes, on a pressure platform. Results: The baropodometric data showed that begginers ballet dancer had more COP oscilation area and velocity on unipodal poses when held with closed eyes than with opened eyed. Less COP mediolateral displacement held with both opened and closed eyes was found n unipodal poses than in bipodal pose. This finds were similar on the experient group. Conclusion: The fulfillment of unipodal poses with closed eyes caused more instability in both beginner and experient groups.

O ballet é uma forma de arte expressa por movimentos e os bailarinos são considerados como artistas e atletas. O início da prática ocorre na infância e são utilizados espelhos para a aprendizagem dos passos e busca pela estética. É no período compreendido entre 9 e 15 anos que bailarinas são introduzidas à técnica com sapatilhas de ponta, sendo também o período em que ocorrem ajustes na habilidade motora e no equilíbrio devido ao estirão de crescimento. Essas sapatilhassão as ferramentas de trabalho escolhidas para permitirem tanto a estética quanto a execução dos movimentos de bailarinas. Seu uso comprime levemente os pés e limita a abrangência das áreas de contato da região plantar. Objetivo: Descrever os efeitos da informação visual na pressão plantar e no equilíbrio de bailarinas, com e sem experiência na técnica de sapatilhas de ponta, durante a execução de três poses de ballet. Métodos: Um total de 23 bailarinas com média de idade de 12,5 ± 4,64 anos, índice de massa corporal 19,3 ± 2,14responderam a um questionário contendo dados pessoais, características de treinamento e histórico prévio de lesões relacionadas à prática do ballet, foram divididas em dois grupos: iniciante (A) e experiente (B) e também realizaram três poses, uma bipodal e duas unipodais, sobre uma plataforma de baropodometria, com olhos abertos e fechados, sem sapatilha. Dados sobre àrea de oscilação do centro de pressão (COP), velocidade de oscilação, deslocamento médio-lateral e deslocamento ântero-posterior de COP, distribuição e pico de pressão foram avaliados utilizando análise de variância (ANOVA) de duas vias. Não houve comparação entre os grupos A e B, foram comparados os dados baropodométricos e a condição de olhos abertos com olhos fechados. Resultados: Os dados baropodométricos mostraram que as bailarinas iniciantes apresentaram maior área de oscilção e velocidade de oscilação do centro de pressão (COP) nas poses unipodais (passe devant com o membro inferior direito apoiado ao solo- PDD e passe devant com o membro inferior esquerdo- PDE) quando executadas com os olhos fechados em relação a abertos. Houve menor deslocamento médio-lateral nas posições PDD e PDE em comparação à posição bipodal de sexta posição (SP) tanto avaliadas com olhos abertos quanto fechados. Esses achados foram semelhantes no grupo mais experiente. Conclusão: A execução das poses unipodais com os olhos fechados provocou maior instabilidade tanto no grupo iniciante quanto no grupo com maior experiência na técnica de sapatilhas de ponta.
Keywords equilíbrio postural
dança
epidemiologia
saúde do adolescente
centro de pressão
Language Portuguese
Date 2015-05-05
Published in MOURAO, Camila Baldini. Avaliação da visão e de três poses de ballet na pressão plantar e no equilíbrio de bailarinas amadoras com e sem experiência em sapatilha de ponta: um estudo transversal. 2015. 65 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2015.
Research area Interdisciplinar
Knowledge area Multidisciplinar
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 65 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2722521
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48426

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account