Comportamento prossocial em adolescentes estudantes: uso de um programa mínimo de prossocialidade

Comportamento prossocial em adolescentes estudantes: uso de um programa mínimo de prossocialidade

Author Pajares, Rosana Cretendio Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Oliveira-Monteiro, Nancy Ramacciotti de Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Abstract Adolescence is an important stage of human development in which there are major changes in interactions person / environment in a short time, it is also the experience of experiencing an identity crisis that points to decisions, choices and values development for life. Internalizing and externalizing psychological problems, the latter including conduct problems such as antisocial behavior, may be present in adolescence as manifestations of imbalances own development processes of this phase of the life cycle. On the other hand, adolescence is a stage of life with great potential for increasing skills and competencies, which presents itself as a positive alternative to the negative pole of antisocial behavior. From the perspective of Positive Psychology (one that emphasizes individual resources, social and community) is the theme of prossocialidade, part of this study. Behaviors prossociais fit into the list of resources and expertise are primarily related to help, sharing, empathy, care and attention, and positive mood, they are seen as behaviors that favor other individuals or groups without seeking external rewards or materials and can be learned, increasing the probability of generating positive reciprocity in interpersonal relationships and social setting as strategies for resource mobilization protective for mental health. This study was exploratory and descriptive, aimed to assess psychological problems, skills and behaviors prossociais using a minimum program increment prossocialidade. We investigated 21 adolescents (13-15 years) of both sexes, students from a public school in Santos (SP). The instruments used were: Youth Self Report (YSR), Prossocialidade Assessment Scale for Adolescents (EAP-A) (answered by adolescents and school by the agent), Brazil Economic Classification Criteria, Program Minimum Increment prosocial (PMIP) and Diary Field. The procedures included evaluation and reevaluation of the student group after application of 10 intervention sessions. The results showed a non-clinical sample, signs of good resources trends and averages for normal skills, emotional / behavioral problems and behaviors prossociais. There were no major changes in scores after implementation of the intervention program, which may be due to the characteristic non-clinical sample. There was a trend to positive development in adolescents and indicative of the group know and recognize the importance of actions prossociais to availability and conditions to develop them, despite the heterogeneity of the group in the behavioral manifestations during the fieldwork. The behaviors of the students with the work proved consistent with the period of the life cycle in which they found themselves. Further studies are suggested to check in groups of adolescents with clinical complaints, also larger samples covering possibilities compared to control groups.

A adolescência é uma importante fase do desenvolvimento humano na qual ocorrem grandes modificações nas interações pessoa/ambiente em curto espaço de tempo; nela também se experimenta a vivência de uma crise de identidade que aponta para tomada de decisões, escolhas e desenvolvimento de valores para a vida. Problemas psicológicos internalizantes e externalizantes, esses últimos incluindo problemas de conduta como os comportamentos antissociais, podem estar presentes na adolescência enquanto manifestações de desequilíbrios próprios dos processos de desenvolvimento desta fase do ciclo vital. Por outro lado, a adolescência é etapa da vida com grande potencial de incremento de habilidades e competências, o que se apresenta como alternativa positiva ao pólo negativo de comportamentos antissociais. Sob a ótica da Psicologia Positiva (aquela que ressalta recursos individuais, sociais e comunitários) encontra-se a temática da prossocialidade, vertente do presente estudo. Os comportamentos prossociais inserem-se no rol de recursos de competência e são basicamente relacionados à ajuda, partilha, empatia, cuidado e atenção, e clima positivo; os mesmos são entendidos como comportamentos que favorecem outras pessoas ou grupos, sem busca de recompensas externas ou materiais e podem ser aprendidos, aumentando a probabilidade de gerar reciprocidade positiva nas relações interpessoais e sociais, configurando-se como estratégias para mobilização de recursos protetivos para a saúde mental. O presente estudo, de caráter exploratório e descritivo, teve o objetivo de avaliar problemas psicológicos, competências e comportamentos prossociais com uso de um programa mínimo de incremento de prossocialidade. Foram investigados 21 adolescentes (13 - 15 anos), de ambos os sexos, estudantes de uma escola pública de Santos (SP). Os instrumentos utilizados foram: Youth Self Report (YSR), Escala de Avaliação de Prossocialidade para Adolescentes (EAP-A) (respondida pelos adolescentes e pelo agente escolar), Critério de Classificação Econômica Brasil, Programa Mínimo de Incremento Prossocial (PMIP) e Diário de Campo. Os procedimentos incluíram avaliação e reavaliação do grupo de estudantes após aplicação de 10 sessões de intervenção. Os resultados apontaram uma amostra não clínica, com indicativos de bons recursos e tendências médias de normalidade para competências, problemas emocionais/comportamentais e comportamentos prossociais. Não houve grandes alterações nos escores após a aplicação do programa de intervenção, o que pode ter ocorrido devido à característica não clínica da amostra. Houve tendência ao desenvolvimento xvi positivo nos adolescentes e indicativos do grupo conhecer e reconhecer a importância das ações prossociais com disponibilidade e condições para desenvolvê-las, apesar da não homogeneidade do grupo nas manifestações comportamentais durante o trabalho de campo. Os comportamentos dos estudantes frente ao trabalho realizado mostraram-se coerentes com o período do ciclo vital em que se encontravam. Ficam sugeridos novos estudos para verificação em grupos de adolescentes com queixas clínicas, também amostras maiores, abarcando possibilidades de comparação com grupos controle.
Keywords desenvolvimento humano
saúde do adolescente
comportamento do adolescente
Language Portuguese
Date 2013-08-28
Published in PAJARES, Rosana Cretendio. Comportamento prossocial em adolescentes estudantes: uso de um programa mínimo de prossocialidade. 2013. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2013.
Research area Interdisciplinar
Knowledge area Multidisciplinar
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 102 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=88189
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48330

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account