Níveis de células progenitoras endoteliais e micropartículas circulantes em pacientes de alto risco recebendo tratamento hipolipemiante

Níveis de células progenitoras endoteliais e micropartículas circulantes em pacientes de alto risco recebendo tratamento hipolipemiante

Author Lins, Livia Campos do Amaral Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Izar, Maria Cristina de Oliveira Izar Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina Translacional
Abstract Objetivo: A inflamação e a doença arterial coronariana modulam o turnover de células endoteliais e podem prever desfechos. Nosso estudo teve por objetivo avaliar os efeitos de terapias hipolipemiantes em células progenitoras endoteliais (CPE), micropartículas endoteliais (MPE) e plaquetárias (MPP) em pacientes de alto-risco com níveis elevados de Proteína C-reativa (PCR). Métodos e Resultados: Foram selecionados 63 pacientes com doença arterial coronariana (CAD) ou seus equivalentes de risco, sob tratamento com estatinas. Após run-in de 4 semanas, com atorvastatina 10 mg, os pacientes que possuíam níveis de colesterol LDL(LDL-C) <100 mg/dL e PCR >2.0 mg/L foram randomizados para mais 4 semanas de tratamento com atorvastatina 40mg, ezetimibaa 10mg ou a combinação de atorvastatina 40mg / ezetimiba 10mg. O estudo foi randomizado, aberto, com os braços paralelos e com desfechos cegos. CPE (CD34+/CD133+/KDR+), MPE (CD51+) e MPP (CD42+/CD31+) foram quantificadas por citometria de fluxo no período basal e ao final do estudo. Os grupos atorvastatina 40mg e atorvastatina 40mg / ezetimiba 10mg reduziram o LDL-C (P<0.001 vs. basal, teste-T pareado). A terapia de associação reduziu os níveis de PCR ultra-sensível (PCR-us), enquanto o grupo ezetimiba 10 mg aumentou o LDL-C (P<0.001 vs. basal, teste-T pareado) e não modificou os níveis de PCR-us. Redução nas CPE CD34+/KDR foi observada após terapia com ezetimiba isolada (P=0.011 vs. basal, teste de Wilcoxon) ou combinada com atorvastatina (P=0.016 vs. basal, teste de Wilcoxon). A ezetimiba também elevou os níveis de MPE CD51+ (P=0.017 vs. basal, teste de Wilcoxon). Nenhuma relação com o LDL-C e a PCR foi observada para estes marcadores. Conclusões: Estes resultados contribuem para melhor compreensão da ligação entre inflamação e homeostase vascular e destacar o benefício das estatinas na diminuição da inflamação e na prevenção de liberação de micropartículas, um efeito não observado com a ezetimiba.
Keywords células progenitoras
endotélio vascular
micropartículas derivadas de células
inibidores de hidroximetilglutaril-coa redutases
inibidor de absorção de colesterol
Language Portuguese
Date 2014-01-08
Published in LINS, Livia Campos do Amaral Silva. Níveis de células progenitoras endoteliais e micropartículas circulantes em pacientes de alto risco recebendo tratamento hipolipemiante. 2014. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=931970
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48240

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account