Avaliação da participação da autofagia na transformação maligna e na resistência à cisplatina em células de melanócito e melanomas murinos

Avaliação da participação da autofagia na transformação maligna e na resistência à cisplatina em células de melanócito e melanomas murinos

Author Antunes, Fernanda Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Smaili, Soraya Soubhi Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Farmacologia
Abstract O melanoma é um dos tipos de câncer com alta taxa de mortalidade devido à baixa efetividade dos tratamentos atualmente disponíveis. Uma das abordagens terapêuticas mais utilizadas consiste no uso de quimioterápicos como a cisplatina. Entretanto, as células tumorais desenvolvem diversos mecanismos de resistência causando baixa eficácia do tratamento. Atualmente, tem-se proposto que a autofagia, uma via catabólica lisossomal envolvida na reciclagem de macromoléculas e organelas danificadas, seja um dos mecanismos de sobrevivência das células tumorais sob estresse genotóxico. Estudos demonstram que a autofagia também participa do processo de tumorigênese. Em estágios iniciais, a autofagia age primordialmente como um mecanismo de supressão do desenvolvimento tumoral, uma vez que limita danos ao DNA. Entretanto, uma vez o tumor estabelecido, a autofagia apresenta um papel pró-tumoral, possibilitando a sobrevivência das células tumorais nas condições de estresse do microambiente, fornecendo intermediários para síntese proteica e produção de energia necessária para sustentar a elevada taxa proliferativa dessas células. Dessa forma, o objetivo geral do presente trabalho foi estudar a participação da autofagia na transformação maligna de melanócitos murinos (melan-a) a melanomas (4C11- e Tm5). Além disso, investigar a possível inter-relação entre autofagia e quimioresistência no tratamento com cisplatina. Para tanto, utilizou-se o modelo de transformação maligna de melanócitos não tumorigênicos (melan-a) a melanoma não metastático (4C11-) e metastático (Tm5). As três linhagens foram submetidas ao meio sem nutrientes e fatores de crescimento (EBSS), como indutor de autofagia, e aos tratamentos com cloroquina (CQ - inibidor autofágico), cisplatina (CDDP) e a associação de CDDP com EBSS ou CQ. A avaliação do processo autofágico foi realizada por citometria de fluxo com acridine orange, microscopia de fluorescência após transfecção com o plasmídeo GFP-LC3 e western blotting para a proteína p62. Também foi avaliada a morte celular por meio de citometria de fluxo com marcação de iodeto de propídeo (PI) e marcação de anexina V-FITC e PI. Os resultados mostraram que há um aumento da autofagia e uma diminuição da morte celular conforme a progressão tumoral do melanoma. Além disso, as células tumorais apresentam autofagia basal aumentada em relação aos melanócitos. O tratamento com cisplatina induziu autofagia em todas as linhagens, sendo maior nas células mais resistentes à morte celular. Já a associação de CDDP e EBSS, apresentou efeito sinérgico na indução de autofagia e potencializou a efetividade da cisplatina, principalmente no melanoma metastático (Tm5). A associação de CDDP e CQ potencializou a efetividade da cisplatina no melanoma não-metastático (4C11-). Os resultados indicam que, no modelo em estudo, a autofagia participa do processo de tumorigênese, além de ser um mecanismo de resistência ao tratamento com cisplatina. Ademais, reforça a idéia de que a modulação da autofagia pode ser utilizada como uma terapia adjuvante no tratamento de tumores refratários à morte celular como os melanomas. Esse estudo também abre a perspectiva para a utilização da restrição e/ou privação nutricional como uma estratégia de baixo custo e de fácil acesso no tratamento do melanoma in vivo, principalmente em seu estágio metastático
Keywords autofagia
melanoma
Language Portuguese
Date 2014-04-30
Published in ANTUNES, Fernanda. Avaliação da participação da autofagia na transformação maligna e na resistência à cisplatina em células de melanócito e melanomas murinos. 2014. 92 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Farmacologia
Knowledge area Ciências biológicas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 92 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=364748
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48175

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account