Medida da espessura corneal central e periférica com dois instrumentos opticos em relação à paquimetria ultrassônica

Medida da espessura corneal central e periférica com dois instrumentos opticos em relação à paquimetria ultrassônica

Author Salaroli, Camila Haydee Rosas Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Allemann, Norma Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Oftalmologia e Ciências Visuais
Abstract Purpose: To evaluate the repeatability of Fourier-domain optical coherence tomography (FD-OCT) pachymetric mapping and compare central corneal thickness (CCT) measurements by OCT, ultrasound Pachymetry (UP), and scanning-slit tomography (Orbscan II) and compare peripheral corneal thickness (PCT) mapping between OCT and Orbscan in normal corneas; and to evaluate the correct Orbscan II acoustic factor used in this project. Methods: An RTVue-CAM FD-OCT (Optovue) system was used to map the corneal thickness of participants without corneal abnormalities from the Doheny Eye Institute, Los Angeles, CA; performed between July 2008 and July 2009. The scans were centered on either the corneal vertex or pupil. The repeatability of central and pericentral map sectors was assessed by pooled standard deviation (SD). The CCT measured by OCT was compared with those measured by ultrasound (Corneo-Gage Plus, Sonogage) and Orbscan II (Bausch&Lomb) by paired t-test and Bland-Altman analysis. The peripheral corneal thickness measured by OCT was compared with those measured by Orbscan II by paired t-test. The acoustic correction factor was established by a current equation. Results: We recruited 54 volunteers (24 female and 30 male), in a total amount of 106 eyes. Pupil centration from 64 eyes (SD: 1.27 ?m central, 1.73-6.60 ?m pericentral) provided better repeatability than vertex centration from 42 eyes (1.65 ?m central, 2.45-9.50 ?m pericentral) in all sectors (P<0.029). The CCT measured by OCT, ultrasound, and Orbscan II (acoustic factor 0.92) was, 537.91±26.93, 557.14±30.02, and 537.13±31.93 ?m, respectively. The peripheral corneal thickness measured by OCT was significantly thinner than Orbscan II pachymetric readings (P=0.000). The verifying correction for the Orbscan II acoustic factor used in this study should be 0.95. Conclusions: Pachymetric mapping with FD-OCT was highly repeatable in normal corneas. The repeatability was better with pupil-centered scans than with corneal vertex-centered scans. Peripheral corneal thickness was higher for Orbscan II pachymetric readings in all sectors. The conceptual correction for the acoustic factor used in this study should be 0.95.

Objetivos: Avaliar a reprodutibilidade do mapa paquimétrico da tomografia de coerência óptica (OCT) de segmento anterior Fourier-domain e comparar as medidas da espessura central da córnea obtidas pelo OCT, paquimetria ultrassônica e sistema óptico de rastreamento em fenda em olhos normais; comparar medidas da espessura da córnea periférica obtidas pelo OCT e sistema óptico de rastreamento em olhos normais; e verificar a correta calibração do fator de correção acústica do sistema óptico de rastreamento utilizado neste estudo. Métodos: Foram recrutados pacientes sem anormalidades de córnea do Setor de Córnea e Cirurgia Refrativa do Doheny Eye Institute, Los Angeles, CA; no período de 15/07/2008 a 14/07/2009, para a obtenção de medidas da espessura corneal central por meio da tomografia de coerência óptica Fourier-domain (FD-OCT) de segmento anterior (RTVue-CAM, Optovue), paquímetro ultrassônico (Corneo-Gage Plus, Sonogage) e sistema óptico de rastreamento em fenda (Orbscan II, Bausch&Lomb); e da espessura corneal periférica através do RTVue-CAM e Orbscan II. Foram realizados escaneamentos de imagens com centralização ou no vértice da córnea ou no centro da pupila com o OCT. A reprodutibilidade do mapa paquimétrico foi avaliada por meio do desvio padrão ponderado. As medidas da espessura central da córnea obtidas pelo OCT foram comparadas às medidas obtidas pelo paquímetro ultrassônico e Orbscan II utilizando o teste t pareado e análise de Bland e Altman. As medidas da espessura periférica da córnea obtidas pelo OCT foram comparadas às do Orbscan II pelo teste t pareado. A verificação do fator acústico de 0,92 do Orbscan II utilizado neste estudo foi realizada por meio de uma equação de correção própria. Resultados: Foram recrutados 54 pacientes voluntários, sendo 30 do sexo masculino, totalizando 106 olhos. Vinte e oito pacientes tem etnia oriental e 26 pacientes com etnia ocidental, sendo a média de idade de 32,4 + 8,3 anos (variando de 19 a 58 anos). Nas medidas de OCT, o escaneamento centralizado na pupila (n=64) apresentou melhor reprodutibilidade do que aquele centralizado no vértice corneal (n=42) em todos os setores (p<0.029). A espessura central da córnea medida pelo OCT, paquímetro ultrassônico e Orbscan II (fator acústico de 0,92) foi de 537,9±26,9, 557,1±30,0, e 537,1±32,0 µm, respectivamente. A espessura corneal periférica medida pelo OCT foi significativamente menor do que pelo Orbscan II (p=0.000) em todos os quadrantes das áreas circunlineares de 2 a 5mm e maior que 6mm. A medida da espessura periférica da córnea foi significativamente maior para o Orbscan II em todos os quadrantes superior, inferior, nasal e temporal das áreas circunlineares periféricas de 2-5mm do OCT e das áreas circunlineares de (2-5mm +6mm) do OCT. O quadrante nasal do Orbscan II apresentou a maior espessura periférica (643,19+_ 31,05 µm) enquanto que o quadrante superior de 2-5mm do OCT e de (2-5mm +6mm) do OCT apresentou a maior espessura periférica de 563,63+_28,71 µm e 574,29+_29,48 µm, respectivamente. O fator ideal de correção acústico do Orbscan II utilizado seria de 0,95. Conclusões: A medida da espessura central da córnea de olhos normais foi de 557,14 + 30,02 ?m para a paquimetria ultrassônica, 537,13 + 31,93?m para o Orbscan II, e 537,91 + 26,93 ?m para a tomografia de coerência óptica de segmento anterior Fourier domain (FD-OCT RTVue). O mapa paquimétrico obtido pelo OCT Fourier-domain foi altamente reprodutível em córneas normais. A medida da espessura periférica da córnea foi significativamente maior para o Orbscan II em relação ao OCT. A calibração mais adequada do fator de correção acústico do Orbscan II utilizado neste estudo seria de 0,95. Descritores: Tomografia de coerência óptica, espessura corneal central, espessura corneal periférica, paquimetria ultrassônica, mapa paquimétrico.
Keywords pachymetric mapping
central corneal thickness
peripheral corneal thickness
optical coherence tomography
ultrasound pachymetry
espessura corneal
mapa paquimétrico
tomografia de coerência óptica
orbscan
paq
Language Portuguese
Date 2013-11-27
Published in SALAROLI, Camila Haydee Rosas. Medida da espessura corneal central e periférica com dois instrumentos opticos em relação à paquimetria ultrassônica. 2013. 65 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 65 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=153788
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47497

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account