Caracterização in vitro de precursores neuronais da eminência gangliônica medial e avaliação in vivo do seu potencial anticonvulsivo após transplante em animais epilépticos

Show simple item record

dc.contributor.advisor Longo, Beatriz Monteiro Longo [UNIFESP] pt
dc.contributor.author Romariz, Simone Amaro Alves [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2018-07-27T15:51:20Z
dc.date.available 2018-07-27T15:51:20Z
dc.date.issued 2016-05-13
dc.identifier https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4318167 pt
dc.identifier.citation ROMARIZ, Simone Amaro Alves. Caracterização in vitro de precursores neuronais da eminência gangliônica medial e avaliação in vivo do seu potencial anticonvulsivo após transplante em animais epilépticos. 2016. 137 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47087
dc.description.abstract Epilepsia, crises epilépticas espontâneas e recorrentes se desenvolvem a partir de disparos neuronais contínuos e de alta frequência que podem ser gerados por uma disfunção sináptica inibitória. Portanto, as consequências da perda ou disfunção de interneurônios GABAérgicos no desenvolvimento do quadro epiléptico são importantes. Os interneurônios inibitórios se originam na região do telencéfalo conhecida como eminência gangliônica medial (EGM). Células progenitoras da EGM têm a capacidade de migrar e se diferenciar em interneurônios inibitórios GABAérgicos, modificando o tônus inibitório quando transplantadas no cérebro do hospedeiro. Assim, o transplante de células progenitoras derivadas da EGM pode modificar a circuitaria neuronal em disfunções neurológicas onde há alteração da função inibitória, como na epilepsia. No entanto, o transplante de células da EGM requer uma grande quantidade de células fetais, esbarrando em questões éticas. A expansão in vitro desses progenitores em neuroesferas pode ser uma alternativa para a aplicação terapêutica das células da EGM em maior escala. Nosso objetivo foi comparar diferentes condições de cultivo de neuroesferas derivadas da EGM quanto ao padrão de diferenciação neuronal e expressão de genes presentes na EGM in vitro e, avaliar in vivo após transplante em animais adultos no período epileptogênico, o potencial anticonvulsivo e de diferenciação em interneurônios inibitórios de células oriundas da EGM cultivadas ou não como neuroesferas. Os resultados in vitro mostraram que a remoção dos fatores de crescimento EGF e FGF2, bem como a adição de ácido retinóico ao meio de cultivo de neuroesferas oriundas da EGM aumentam a proporção de neurônios e a expressão de genes relacionados à especificação celular de interneurônios inibitórios nas neuroesferas, comparado à condição padrão de cultura. Os resultados in vivo indicam que as células derivadas da EGM que não foram cultivadas como neuroesferas originam mais interneurônios inibitórios e apresentam um efeito anticonvulsivo mais eficaz quando comparadas com células da EGM cultivadas como neuroesferas, independente das modificações realizadas no meio de cultivo. Dentre as células da EGM cultivadas como neuroesferas, as que foram cultivadas na presença de fatores de crescimento reduziram a frequência de crises do tipo IV e se diferenciaram, preferencialmente, em astrócitos. Concluímos que os precursores neuronais oriundos da região da EGM apresentam um potencial anticonvulsivo e que a técnica de expansão dessas células em neuroesferas, mesmo com as modificações no meio de cultivo, não favoreceu o aumento de interneurônios inibitórios após transplante em animais epilépticos. Apesar disso, as células cultivadas como neuroesferas na condição padrão se diferenciaram em astrócitos após o transplante, um tipo celular que pode ser importante no controle das crises espontâneas e recorrentes devido a possiveis mecanismos de redução de crises que devem ser melhor investigados. pt
dc.format.extent 137 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject interneuronal progenitors en
dc.subject transplantation en
dc.subject medial ganglionic eminence en
dc.subject gaba en
dc.subject epilepsy en
dc.subject neurospheres en
dc.subject progenitores neurais pt
dc.subject interneurônios inibitórios pt
dc.subject transplante pt
dc.subject eminência gangliônica medial pt
dc.subject gaba pt
dc.subject epilepsia pt
dc.subject neuroesferas pt
dc.title Caracterização in vitro de precursores neuronais da eminência gangliônica medial e avaliação in vivo do seu potencial anticonvulsivo após transplante em animais epilépticos pt
dc.type Tese de doutorado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file 2016-0794.pdf
dc.description.source Dados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2013 a 2016)
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt
unifesp.graduateProgram Neurologia - Neurociências pt
unifesp.knowledgeArea Ciências da saúde pt
unifesp.researchArea Medicina pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account