As representações sociais da promoção da saúde e suas articulações com as práticas profissionais na estratégia da saúde da família

As representações sociais da promoção da saúde e suas articulações com as práticas profissionais na estratégia da saúde da família

Author Abdala, Christiane Alves Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Lima, Laura Camara Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ensino em Ciências da Saúde
Abstract Currently we live a major reestruturing of the Primary Health Attention with focus and investiments in the Health Family Strategy, which advocates the establishment of differentiated bonds with the users of the Unified System Health and prioritizes actions of Health Promotion, but without fail the execution of curative assistance and disease prevention. What is intended is a change in the service model with broader and more comprehensive performance, which considers the social, cultural and collective aspects and working with the various knowledge of multidisciplinary teams. In this context, the research presented here, had as subject the professionals who work in the Santos Family Health Strategy, being based, for the data analysis, on the Social Representations Theory and aiming to access and analyze the Social Representations that these professionals share on Health Promotion, and verify how the daily practices are related to these representations. Our hypothesis is that these are anchored in Social Representations model based on procedures centered on the physician in curative care and relations of power-knowledge, which goes against the proposal from the Familiy Health Estrategy and difficult the Health Promotion actions in the broadest sense. The qualitative methodology had like the main instrument the semi structured interviews. We randomly selected one team from each of the four areas of the city (downtown, hills and mainland north west) and each team was interviewed a professional from each of the five categories (section chief, doctor, nurse, nurse assistant-technician, community health agent); 19 subjects participated. The analysis was inspired by the Collective Subject Discourse, considering the frequencies of the main ideas associated with the concept of Health Promotion, investigating anchors and objectifications. The data analysis confirmed the hegemony of the traditional model and the minority presence of innovative actions, these are related to the territory from where emerge due to the type of relationship/bond between professionals and users, thus initiating the coexistence of two differents health models. The results were replaced to the respondents during a collective round of conversation, animated by the researcher. Activities and verbal exchanges that occurred produced new understandings and insights about the possibilities of promoting health, serving concurrently as validation of Social Representation activated, and as a way of intervention in an attempt to start a process of modification. Professionals can share experiences, relate to the Health Promotion and its Social Representations, as it is described in official documents and prescribed in public policies, with what they report on their actions with users in their territories, perceiving connections and contradictions, similarities and differences. This organized collective exercise gathering and production of exchanges between professionals from different categories and territories perhaps have a potential to cause changes to the way that professionals attribute the work in Health Promotion and Family Health Strategy possibly be turned into a transformative action.

Vivenciamos atualmente uma grande reestruturação da Atenção Primária à Saúde com foco e investimentos na Estratégia da Saúde da Família (ESF), que preconiza o estabelecimento de vínculos diferenciados com os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e prioriza ações de Promoção à Saúde (PS), mas sem deixar de executar a assistência curativa e a prevenção às doenças. O que se pretende é uma mudança no modelo de atendimento com atuação mais ampla e abrangente, que considere os aspectos sociais, culturais e coletivos e que trabalhe com os vários saberes das equipes multidisciplinares. Nesse contexto a pesquisa aqui apresentada teve como sujeitos profissionais que atuam nas equipes da ESF do município de Santos, sendo fundamentada no referencial da Teoria das Representações Sociais (RS) e tendo como objetivo acessar e analisar as RS que esses profissionais compartilham sobre PS além de verificar como as práticas diárias dessas equipes correspondem ou relacionam-se com essas representações. Partimos da hipótese de que essas RS estão ancoradas em modelo pautado em procedimentos centrado no profissional médico, na assistência curativa e nas relações de poder/saber, o que vai na contramão da proposta da ESF e dificulta ações em PS em sentido mais amplo. A metodologia qualitativa teve como instrumento entrevistas semiestruturadas. Foi sorteada uma equipe de cada um dos quatro territórios da cidade (centro, morros, área continental e zona noroeste) e em cada equipe foi entrevistado um profissional de cada uma das cinco categorias (chefe de seção, médico, enfermeiro, auxiliar/técnico de enfermagem, agente comunitário de saúde); 19 sujeitos participaram. A análise foi inspirada no Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), considerando as frequências das principais ideias associadas ao conceito de PS, investigando objetivações e ancoragens. Confirmou-se a hegemonia do modelo tradicional e a presença minoritária de ações inovadoras com características próprias ao território onde emergem devido ao tipo de relação/vínculo entre profissionais e usuários, iniciando portanto certa coexistência de modelos. Os resultados foram restituídos aos entrevistados durante uma roda de conversa coletiva, animada pela pesquisadora. As atividades e trocas verbais que ocorreram produziram novos entendimentos e insights a respeito das possibilidades de promover saúde na ESF, servindo concomitantemente como validação das RS ativadas e como uma forma de intervenção na intenção de disparar um processo de modificação. Os profissionais puderam trocar experiências, relacionar a RS da PS, tal como ela é descrita nos documentos oficiais e prescrita nas políticas públicas, com o que eles relatam sobre o que realizam nas suas ações com os usuários em seus territórios, percebendo conexões e contradições, aproximações e distanciamentos. Esse exercício organizado de encontro coletivo e de produção de trocas entre profissionais de diferentes categorias e territórios talvez tenha potencial de provocar mudanças ao nível do sentido que os profissionais atribuem ao trabalho de PS na ESF que possivelmente se convertam em ação transformadora.
Keywords Health promotion
Primary attention
Family health program
Social representatios
Collective health
Promoção da saúde
Atenção primária
Programa saúde da família
Representações sociais
Saúde coletiva
Language Portuguese
Date 2014-10-10
Published in ABDALA, Christiane Alves. As representações sociais da promoção da saúde e suas articulações com as práticas profissionais na estratégia da saúde da família. 2014. 93 f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Enfermagem, Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2014.
Research area Ensino
Knowledge area Multidisciplinar
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 93 p.
Origin https://www2.unifesp.br/centros/cedess/mestrado/baixada_santista_teses/012_bx_christianealves_tese.pdf
Access rights Open access Open Access
Type Dissertation
URI https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46938

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account