Avaliação das alterações nos músculos do assoalho pélvico em mulheres com endometriose profunda

Avaliação das alterações nos músculos do assoalho pélvico em mulheres com endometriose profunda

Author Bispo, Ana Paula dos Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Schor, Eduardo Schor Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina (Ginecologia)
Abstract Aim: It is proposed in the present study to evaluate the functionality and the prevalence of spasms and trigger points in the muscles of the pelvic floor in women with deep endometriosis. Methods: We performed a case-control study, which evaluated 104 patients, aged between 18 and 55 attended in the Federal University of Sao Paulo. The patients were divided into two groups. Group one (G1) consisted of 52 patients from the Pelvic Pain and Endometriosis Unit of the Department of Gynecology had a diagnosis of Deep Endometriosis proven by magnetic resonance imaging (MRI), and group two (G2) consisted of 52 women with disease sexually transmitted infection (STI) without chronic pelvic pain, from the Center for Prevention of Sexually Transmitted Diseases. Not included women with neurological diseases, changes in cognition, fibromyalgia, pregnant, with recent injuries in the pelvis and female virgins. After signing the informed consent, the patients underwent a complete physical therapy evaluation consisting of history, presence of dyspareunia and physical assessment, including detailed analysis of the pelvic floor muscles, seeing if there was presence of muscle spasm, and trigger point and the function muscle. Results: The mean age of patients in the study group was 36.4 years and 30.9 in the control group. We observed a higher prevalence of deep dyspareunia in the patients with endometriosis when compared to the control. As concerned the presence of muscle spasms in the pelvic floor, was more prevalent in women than G1. In this group 53.9% had spasms against only 17.3 of the G2. The analysis of the presence of trigger point, there was no significant difference between groups. In G1 37.25% of the women had spasms against only 7.84% of the G2. In the analysis of the presence of trigger point in this muscle, there was no significant difference between groups. There was no significant difference between groups in evaluation the function of the pelvic floor muscles. Conclusion: Women with deep endometriosis have a higher prevalence of pelvic floor muscle spasms in when compared to group two.

Objetivo: Propõe-se no presente estudo para avaliar a funcionalidade ea prevalência de espasmos e pontos de gatilho nos músculos do assoalho pélvico em mulheres com endometriose profunda. Métodos: Foi realizado um estudo caso-controle, no qual foram avaliados 104 pacientes, com idade entre 18 e 55 anos frequentou a Universidade Federal de São Paulo. Os pacientes foram divididos em dois grupos. Um grupo (G1) foi composto por 52 pacientes Algia pélvica Endometriose setor da Gynecologe de Departamento que teve um diagnóstico da endometriose profunda comprovada por ressonância magnética (MRI), e grupo dois (G2) foi composto por 52 mulheres com doença sexualmente transmissível (STI) sem dor pélvica crônica, do Centro de Prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis. Não incluiu mulheres com doenças neurológicas, cognição defict, fibromialgia, grávidas com lesões recentes na bacia e fêmeas virgens. Após a assinatura do consentimento informado, os pacientes foram submetidos a uma avaliação fisioterapêutica completa composta por história, presença de dispareunia e avaliação física, incluindo a análise detalhada dos músculos do assoalho pélvico, vendo se havia presença de espasmo muscular e músculo função de ponto de gatilho. Resultados: A idade média dos pacientes no grupo de estudo foi de 36,4 anos e 30,9 no grupo controle. (P = 0,002). Observou-se uma maior prevalência de profundidade dispareunia nas pacientes com endometriose quando comparado ao grupo controle (P = 0,010). Como em causa a presença de espasmos musculares no assoalho pélvico, foi mais prevalente em mulheres do que G1. Neste grupo de 53,9% com apenas 17,3 contra espasmos do G2 (p <0,001). A análise da presença de ponto-gatilho, não houve diferença significativa entre os grupos (p = 0,153). Em G1 37,25% das mulheres tinham espasmos contra apenas 7,84% do G2 (p <0,001). Na análise da presença do ponto de disparo deste músculo, não houve diferença significativa entre os grupos. Não houve diferença significativa entre os grupos na avaliação da função dos músculos do assoalho pélvico. Conclusão: Mulheres com endometriose são mais profundas prevalência de espasmos dos músculos do assoalho pélvico em relação ao grupo dois.
Keywords endometriosis
incontinence of urine
endometriose
incontinência urinária
Language Portuguese
Date 2013-08-28
Published in BISPO, Ana Paula dos Santos. Avaliação das alterações nos músculos do assoalho pélvico em mulheres com endometriose profunda. 2013. 28 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 28 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=721846
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46732

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account