A educação interprofissional nos bacharelados interdisciplinares em saúde: análise de uma experiência

A educação interprofissional nos bacharelados interdisciplinares em saúde: análise de uma experiência

Author Cerqueira, Marta Baltazar dos Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Batista, Nildo Alves Batista Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ensino em Ciências da Saúde
Abstract The objective of this study was to investigate Interprofessional Education (IPE) as a training strategy for teamwork in the educational process of Interdisciplinary Bachelor?s degree in Health (IBH). An IPE educational strategy was offered through a special curricular component through a 4 hour weekly meeting during 8 weeks. Thirty-two IBH students enrolled in this component and agreed to participate in the study by signing a Free and Informed Consent form (FICT). Among the participants, 17 students were female (53.12%) and 15 male (46.87%), aged between 18 and 56 years. The highest frequency among participants was of IBH second semester students (31.25%), followed by third semester students (18.75%) and fifth semester students (18.75%). A validated attitudinal scale, the Readiness Interprofessional Learning Scale (RIPLS), was applied at the first and last meetings in order to know the availability of IBH students for IPE before and after the educational strategy. The participants also responded to another attitudinal scale (AS) modified for IBH application, which evaluated their perception on teamwork training developed during the baccalaureate. Throughout the educational strategy, the students constructed a reflective portfolio with records of their learning experience and answered a semi-structured, self-administered questionnaire with open answers about the potentialities, weaknesses and challenges of IPE as a training strategy for health professionals. The quantitative analysis of the data obtained by applying the attitudinal scales was performed with the aid of the statistical package IBM SPSS 22 (Statistical Package for Social Science), the Wilcoxon test and t-test for comparison of the means. The qualitative data obtained through the reading of the portfolios and the answers to the semi structured questionnaire were analyzed according to thematic content analysis technique, through the selection and categorization of analysis units. The results of RIPLS scale showed a good initial availability of students for IPE, especially for teamwork (4.33) and a statistically significant increase of this availability after the educational strategy (4.61). Through the results of AS scale application, it has been shown that IBH students acknowledged receiving training oriented to collaborative professional practice, nevertheless, they consider that the learning opportunities for teamwork need to be increased. Through the portfolios analysis, the students' understanding of the importance of curricular interventions in IPE for the development of collaborative competences and for exercising integral health care was perceived. As for IPE potentialities, weaknesses and challenges, the students generally recognize that IPE is potent tool for training health professionals on teamwork and to improve articulation between teams. However, they consider that the prevalence of uniprofessional training, infrastructure limitations and shortage of IPE qualified professors in Higher Education Institutions weakens the development of interprofessional curricula in undergraduate health courses.

O objetivo deste trabalho foi investigar a Educação Interprofissional (EIP) como estratégia de formação para o trabalho em equipe no processo formativo dos Bacharelados Interdisciplinares em Saúde (BIS). Uma estratégia educativa em EIP foi oferecida por meio de um componente curricular especial através de um encontro semanal de 4 horas por 8 semanas. Trinta e dois alunos do BIS matricularam-se neste componente e aceitaram participar da pesquisa assinando o Termo e Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). Entre os participantes, 17 estudantes eram do sexo feminino (53,12%) e 15 do sexo masculino (46,87%), com idade entre 18 e 56 anos. A maior frequência entre os participantes foi de alunos do segundo semestre do BIS (31,25%), seguido dos alunos do terceiro semestre (18,75%) e do quinto semestre (18,75%). Foi aplicada uma escala atitudinal validada, a Readiness Interprofissional Learning Scale (RIPLS), no primeiro e no último encontro com a finalidade de se conhecer a disponibilidade dos estudantes do BIS para EIP antes e após a estratégia educativa. Os participantes também responderam à uma outra escala atitudinal (EA), modificada para aplicação no BIS, que avaliou a percepção deles sobre a formação para o trabalho em equipe desenvolvida durante o bacharelado. Ao longo da estratégia educativa os alunos construíram um portfólio reflexivo com registros de seu aprendizado e responderam a um questionário semiestruturado, auto preenchível, com respostas abertas sobre as potencialidades, fragilidades e desafios da EIP como estratégia de formação para os profissionais de saúde. A análise quantitativa dos dados obtidos pela aplicação das escalas atitudinais foi realizada com o auxílio do pacote estatístico IBM SPSS 22 (Statistical Package for Social Science), do teste de Wilcoxon e do Teste T para a comparação das médias. Os dados qualitativos obtidos através da leitura dos portfólios e das respostas ao questionário semiestruturado foram analisados segundo a técnica de análise de conteúdo, do tipo temático, através da seleção e categorização das unidades de análise. Os resultados da aplicação da escala RIPLS demonstraram uma boa disponibilidade inicial dos alunos para EIP, especialmente para o trabalho em equipe (4,33) e um aumento estatisticamente significativo dessa disponibilidade após a estratégia educativa (4,61). Através dos resultados da aplicação da escala EA, verificou-se que os estudantes do BIS reconheceram receber uma formação orientada para a prática profissional colaborativa, no entanto, consideram que as oportunidades de aprendizagem para o trabalho em equipe necessitam ser incrementadas. Na análise dos portfólios percebeu-se a compreensão dos estudantes sobre a importância de intervenções curriculares em EIP para desenvolvimento de competências colaborativas e para o exercício do cuidado integral em saúde. Quanto às potencialidades, fragilidade e desafios da EIP, de forma geral, os estudantes reconhecem que a EIP é potente para a formação dos profissionais de saúde no trabalho em equipe e para melhorar a articulação entre as equipes. Entretanto, eles consideram que a prevalência da formação uniprofissional e as limitações em infraestrutura e escassez de docentes qualificados em EIP das Instituições de Ensino Superior fragilizam o desenvolvimento de currículos interprofissionais nos cursos de graduação em saúde.
Keywords curriculum
health education
currículo
relações interprofissionais
Language Portuguese
Date 2016-09-27
Published in CERQUEIRA, Marta Baltazar dos Santos. A educação interprofissional nos bacharelados interdisciplinares em saúde: análise de uma experiência. 2016. Dissertação (Mestrado Profissional) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Research area Ensino
Knowledge area Multidisciplinar
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4691878
Access rights Closed access
Type Dissertação de mestrado profissional
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46587

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account