Avaliação da capacidade física de crianças nascidas prematuras com muito baixo peso

Avaliação da capacidade física de crianças nascidas prematuras com muito baixo peso

Author Tsopanoglou, Sabrina Pinheiro Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Santos, Amelia Miyashiro Nunes dos Santos Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Pediatria e Ciências Aplicadas à Pediatria
Abstract Objectives: To compare aerobic capacity of children born prematurely with children born at term and to identify factors associated with aerobic capacity of these children during cardiopulmonary exercise test (CPET). Methods: Cross-sectional study with two groups of children aged 6-9 years: one group of children born prematurely with birth weight <1500g and followed at the Preterm out clinic of the Federal University of São Paulo. Children born at term composed the second group; brothers, friends or relatives of preterm children who did not presented clinical complications during neonatal period. Exclusion criteria were: congenital malformations, neuromuscular disorders, neurological, medical or developmental impairment that could compromise the results or safety of the child during the test and/or respiratory disease 15 days prior to testing. For CPET, it was adopted a quickly incremental symptom limited protocol with individualized load increase on treadmill. Variables measured were: oxygen pulse (PuO2), peak of heart rate (HR peak), percentage of maximum heart rate expected for age (% HR max), tidal volume/inspiratory capacity (VC/CI rest and peak), ventilatory equivalent for CO2 (VE/VCO 2 slope and lowest), oxygen consumption (VO2) peak and percentage of maximum predicted oxygen consumption for age (% VO2 max prev.), oxygen consumption at anaerobic threshold/anaerobic threshold (VO2 in LA), maximal oxygen and threshold of maximum percentage provided for oxygen-consuming for age ratio (VO2 @ LA/%VCO2 max. pred), Oxygen Uptake Efficiency Slope (OUES). The sample size calculation required 22 participants in each group, to evidence a difference of 7.3mL/kg/min. in VO2 between groups, considering alpha of 0.05 and beta of 0.80. Categorical variables were compared by chi-square or Fisher's exact test and numeric variables by the student t test or Mann-Whitney, according to their distribution evaluated by the Kolmogorov-Smirnov. Univariate and multiple linear regression analysis were applied to evaluate factors associated with aerobic capacity. Variables with clinical and statistical significance (p <0.2) detected by univariate regression were included in the multivariate model. Statistical analysis was performed using SPSS for Win / v.17.0, considering significant p <0.05. Results: Thirty-four preterm infants were included (gestational age 29.8 ± 2.5 weeks,birth weight 1131 ± 228g) and 32 term children. Among preterm children, 70.6% required mechanical ventilation and the length of stay in the unit neonatal was 61 ± 21 days. At inclusion in the study, both groups were similar in age, weight, height, body mass index and incidence of overweight/obesity, except for the z score for height/age (Preterm group: -0.35 ± 1.17 vs. Term group: 0.24 ± 0.96, p = 0.032). All parameters of aerobic capacity were similar in both groups. By multivariate linear regression: HR peak was positively associated with bronchopulmonary dysplasia and overweight/obesity; %Maximum heart rate was positively associated with broncopulmonary dysplasia, overweight/obesity; PuO2 was positively associated to the z-score for height/age and negatively to female; VO2 peak was positively associated with birth weight <1000 g, and negatively for female and overweight/obese. Conclusions: The parameters of aerobic capacity evaluated by the cardiopulmonary test were similar in both groups. Factors associated with aerobic capacity were female, broncopulmonary dysplasia and variables related to body growth, showing the influence of neonatal factors and postnatal growth on the aerobic capacity of children born prematurely.

Objetivos: Avaliar a capacidade aeróbica de crianças nascidas prematuras,comparando-as às nascidas a termo e identificar os fatores associados à capacidade aeróbica das crianças estudadas, utilizando o teste de exercício cardiopulmonar (TECP). Métodos: Estudo transversal com dois grupos de crianças de 6-9 anos, sendo um grupo de prematuros com peso ao nascer <1500g, acompanhados no Ambulatório de Prematuros da Universidade Federal de São Paulo. O segundo grupo composto por crianças nascidas a termo, sem intercorrências clínicas no período neonatal, irmãos, amigos ou parentes dos prematuros. Foram excluídas: malformações congênitas, doenças neuromusculares, alterações neurológicas, clínicas ou no desenvolvimento que pudesse comprometer os resultados ou a segurança da criança durante o teste, e doença respiratória nos últimos 15 dias antes do teste. Para o TECP foi aplicado um teste incremental sintoma/limitado, com protocolo rapidamente incremental com aumento individualizado de carga em esteira. Foram avaliados: pulso de oxigênio (PuO2), frequência cardíaca de pico (FC Pico), percentual da frequência cardíaca máxima prevista para a idade (% FC máxima), relação volume corrente/capacidade inspiratória (VC/CI repouso e pico), eficiência ventilatória equivalente ao limiar anaeróbico ventilatório (LAV) e sua relação submáxima (VE/VCO2 slope e lowest), consumo de oxigênio (VO2) pico e percentual do consumo máximo de oxigênio previsto para a idade (%VO2 máx prev), consumo de oxigênio no limiar anaeróbico/limiar anaeróbico (VO2 no LA), relação consumo máximo de oxigênio no limiar anaeróbico e percentual de consumo máximo de oxigênio previsto para a idade (VO2@LA/% VO2 max. pred), Oxygen Uptake Efficiency Slope: eficiência de captação de oxigênio (OUES). A amostra calculada foi de 22 participantes em cada grupo para obter uma diferença no VO2 de 7,3 mL/Kg/min entre os grupos, com alfa de 0,05 e beta de 0,80. As variáveis categóricas foram comparadas pelo qui-quadrado ou teste exato de Fisher e as numéricas pelo teste t de student ou Mann-Whitney, conforme distribuição avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Para análise de fatores associados à capacidade aeróbica, utilizou-se regressão linear univariada e múltipla. As variáveis com significância clínica e estatística (p< 0,2) na regressão univariada, foram incluídas na regressão linear múltipla. As análises estatísticas foram realizadas no programa SPSS for Win/v.17.0, considerando-se significante p<0,05. Resultados: Foram incluídas 34 crianças nascidas prematuras (idade gestacional 29,8±2,5 sem., peso 1131±228 g) e 32 crianças a termo. De 34 prematuros, 70,6% necessitaram de ventilação mecânica e o tempo de internação na unidade neonatal foi 61 ± 21 dias. À inclusão no estudo, os dois grupos eram semelhantes quanto à idade, peso, altura, índice de massa corpórea e incidência de sobrepeso/obesidade e diferentes no escore Z estatura/idade (Prematuros: -0,35±1,17 vs. Termo: 0,24±0,96, p=0,032). Todos os parâmetros de capacidade aeróbica foram semelhantes nos dois grupos. Na regressão linear múltipla: FC pico se associou positivamente à displasia broncopulmonar e sobrepeso/obesidade; % FC máxima se associou positivamente à displasia broncopulmonar e sobrepeso/obesidade; PuO2 se associou positivamente ao escore z de estatura/idade e negativamente ao sexo feminino; VO2 pico se associou positivamente a peso < 1000g, e negativamente ao sexo feminino e sobrepeso/obeso. Conclusões: Os parâmetros de capacidade aeróbica avaliados no teste de exercício cardiopulmonar foram semelhantes nos dois grupos. Os fatores associados à capacidade aeróbica foram: sexo feminino, displasia broncopulmonar e variáveis relacionadas ao crescimento corporal das crianças estudadas, mostrando a influência de fatores neonatais e de crescimento pós-natal sobre a capacidade aeróbica de crianças nascidas prematuras.
Keywords child
preterm infant
cardiopulmonary exercise test
physical capacity
aerobic capacity
criança
prematuro
teste de exercício cardiopulmonar
capacidade física
capacidade aeróbica
Language Portuguese
Date 2016-11-11
Published in TSOPANOGLOU, Sabrina Pinheiro. Avaliação da capacidade física de crianças nascidas prematuras com muito baixo peso. 2016. 104 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 104 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4264704
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46453

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account