Filogenia molecular de chamaeza vigors, 1825 (aves, formicariidae) e implicações para a história evolutiva das florestas da América do Sul

Filogenia molecular de chamaeza vigors, 1825 (aves, formicariidae) e implicações para a história evolutiva das florestas da América do Sul

Author Oliveira, Deborah Figueiredo Nacer de Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Amaral, Fabio Sarubbi Raposo Do Amaral Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ecologia e Evolução
Abstract somewhere between 8.4 and 10.8 million years ago. All extant Chamaeza species would have splitted at the beginning of the Pliocene (approximately 5 million years ago) at the latest. Ancestral range estimations revealed that the genus probably originated in the Atlantic Forest and that posterior dispersal events were paramount to its history. Such faunal transitions between South American forests support the idea that the evolutionary histories of these biomes are essentially bound together and cannot be separated from one another, which reflects its dynamism and complexity. Moreover, our results show that the Atlantic Forest has an important role in both species differentiation and their provision to other biomes in the continent. Lastly, we believe that current Chamaeza nomenclature does not reflect the heterogeneity found in its members and a thorough revision of the genus should increase its diversity, which means that the number of Neotropical species as we know today is underestimated.

A América do Sul apresenta regiões extremamente biodiversas como as florestas dos Andes, da Amazônia e da Mata Atlântica. Os processos históricos que originaram e mantêm tamanha diversidade permanecem não totalmente compreendidos ainda hoje. Nosso objetivo foi investigar as relações filogenéticas entre as espécies de um gênero de aves (Chamaeza) presente nessas três formações florestais visando uma melhor compreensão dos processos de formação da biodiversidade florestal sul-americana no espaço e no tempo, dando especial enfoque à Mata Atlântica. Sequenciamos genomas mitocondriais (mtDNA) completos e aproximadamente 2.400 regiões de elementos ultraconservados nucleares de cinco espécies de Chamaeza representando 14 dos 21 táxons atuais. Geramos filogenias por Inferência Bayesiana e por Máxima Verossimilhança a partir desses dados. Datamos a filogenia inferida a partir de mtDNA e fizemos uma estimativa de distribuição ancestral considerando cinco domínios biogeográficos da América do Sul. Todas as filogenias inferidas recuperaram as mesmas relações entre espécies e subespécies: um clado formado por Chamaeza ruficauda, C. mollissima e C. meruloides e outro por C. nobilis e C. campanisona, sendo que esta última espécie é parafilética. A data de divergência desses dois grandes clados teria sido entre 8,4 e 10,8 milhões de anos atrás e todas as espécies atuais de Chamaeza teriam se separado até o início do Plioceno (aproximadamente 5 milhões de anos atrás). Estimativas de distribuição ancestral apontaram para a Mata Atlântica como provável área de surgimento do gênero e também para a importância de eventos posteriores de dispersão histórica em seu passado. Essa troca de fauna entre florestas da América do Sul deixou claro que as histórias evolutivas desses biomas estão intrinsecamente ligadas e são indissociáveis, o que é um reflexo de seu dinamismo e complexidade. Além disso, vimos que a Mata Atlântica tem um papel importante na diferenciação e no fornecimento de espécies para outros biomas do continente. Por fim, acreditamos que a nomenclatura atual de Chamaeza não reflete a heterogeneidade de seus integrantes e que uma revisão abrangente do gênero irá aumentar sua diversidade, o que significa que o número atual de espécies da região Neotropical está subestimado.
Keywords biogeography
ultraconserved elements
neotropics
atlantic forest
ancestral range estimation
biogeografia
elementos ultraconservados
neotrópico
mata atlântica
estimativa de distribuição ancestral
Language Portuguese
Date 2016-06-24
Published in OLIVEIRA, Deborah Figueiredo Nacer de. Filogenia molecular de chamaeza vigors, 1825 (aves, formicariidae) e implicações para a história evolutiva das florestas da América do Sul. 2016. 42 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Diadema, 2016.
Research area Ecologia
Knowledge area Ciências biológicas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 42 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3654706
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46319

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account