Incomensurabilidade: uma questão epistemológica ou de linguagem

Incomensurabilidade: uma questão epistemológica ou de linguagem

Author Sperandio, Caio Sievers Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Tossato, Claudemir Roque Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Filosofia - Guarulhos
Abstract O debate sobre o progresso linear do conhecimento toma um grande papel na filosofia da ciência, tendo como uma de suas principais figuras Thomas S. Kuhn com sua tese de incomensurabilidade. Porém, a incomensurabilidade é o tema mais polêmico dos trabalhos de Kuhn, geradora de criticas de relativismo e irracionalismos. Devido a essas críticas, ou por uma evolução natural do pensamento de Kuhn, a tese da incomensurabilidade encontra dois momentos, segundo comentadores como Robson Guitarrari. Em sua primeira formulação ela possui um patamar mais amplo, porém, posteriormente, Kuhn defende uma incomensurabilidade local, dando uma maior ênfase para a linguagem. A presente dissertação analisa três questões referentes à incomensurabilidade: é possível manter a tese da incomensurabilidade? As causas que levaram a essa mudança de perspectiva da incomensurabilidade? e se é possível não cairmos em um relativismo? Para tanto, apresentamos, brevemente, a dinâmica científica defendida por Kuhn, passando pelo período pré-paradigmático, paradigmático e de revolução cientifica para, só então, tratar propriamente da questão da incomensurabilidade. Para essa empreitada, utilizaremos dos textos de Thomas Kuhn, deixando claro os dois momentos da incomensurabilidade e, partindo da análise de comentadores, apresentaremos as críticas e defesas a essa tese.

The debate on the linear progress of knowledge takes a big role in the philosophy of science, having as one of its leading figures Thomas S. Kuhn with his thesis of incommensurability. However, the incommensurability is the most polemical theme of the works of Kuhn, generating criticism of relativism and irrationalism. Because of these criticisms or a natural evolution of the thought of Kuhn's thesis of incommensurability meets two times, according to commentators as Robson Guitarrari. In its initial formulation it has a broader level, however, later, Kuhn maintains a local incommensurability, giving greater emphasis to the language. This dissertation analyses three issues incommensurability, it is possible to maintain the thesis of incommensurability, the question that led to this change of perspective of incommensurability, and if you can not fall into relativism. Therefore, we present briefly the scientific dynamics advocated by Kuhn, through pre - paradigmatic, paradigmatic and scientific revolution then properly approach the incommensurability issue. For this work will use the texts of Thomas Kuhn, making clear the two moments of incommensurability and, starting from the analyses commentators, and present the critics and defences to this thesis.
Keywords Incomensurabilidade
Epistemologia
Racionalidade
Valores
Linguagem
Escolha
Incommensurability
Epistemology
Rationality
Values
Language
Choice
Language Portuguese
Sponsor Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Date 2014-03
Published in SPERANDIO, Caio Sievers. Incomensurabilidade: uma questão epistemológica ou de linguagem. 2014. 113 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2014.
Knowledge area Filosofia
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 113 f.
Access rights Open access Open Access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39290

Show full item record




File

Name: Publico-39290.pdf
Size: 854.2Kb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account