Tratamento cirúrgico versus não cirúrgico das luxações acromioclaviculares agudas nos adultos

Show simple item record

dc.contributor.advisor Belloti, Joao Carlos [UNIFESP]
dc.contributor.author Tamaoki, Marcel Jun Sugawara [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-12-06T23:44:58Z
dc.date.available 2015-12-06T23:44:58Z
dc.date.issued 2011
dc.identifier.citation TAMAOKI, Marcel Jun Sugawara. Tratamento cirúrgico versus não cirúrgico das luxações acromioclaviculares agudas nos adultos: revisão sistemática. 2011. 183 f. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2011.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/21725
dc.description.abstract Introdução: As luxações acromioclaviculares são afecções do ombro comuns na traumatologia ortopédica. Ainda hoje existe controvérsia sobre o método de tratamento mais efetivo. Objetivo: Avaliar a efetividade das intervenções cirúrgicas comparadas às não cirúrgicas para o tratamento das luxações acromioclaviculares agudas em adultos. Métodos: Foi realizada busca no Cochrane Bone, Joint and Muscle Trauma Group Specialised Register (até fevereiro de 2009), the Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library 2009, Issue 1), MEDLINE (1966 até fevereiro de 2009), EMBASE (1988 até fevereiro de 2009), e LILACS (1982 até fevereiro de 2009). Além disso, foi pesquisada em registros e ensaios clínicos e realizada busca manual de artigos. Não houve restrição quanto à língua ou status de publicação. Foram incluídos estudos randomizados e quase-randomizados que compararam quaisquer técnicas cirúrgicas às não cirúrgicas para o tratamento das luxações acromioclaviculares agudas. Resultados: Três estudos foram incluídos com total de 174 participantes. Dois estudos eram randomizados e um quaserandomizado. Nenhum utilizou instrumentos validados para aferição dos resultados, embora todos relataram maior número de complicações como quebra e migração de implantes no grupo cirúrgico, que também está relacionada ao maior tempo de retorno às atividades prévias. Conclusão: não há evidência suficiente para determinar quando o tratamento cirúrgico está indicado para as luxações acromioclaviculares agudas em adultos. Ensaios com boa qualidade metodológica, amostra adequada, descrição dos resultados por instrumentos validados, comparando métodos cirúrgicos atuais são necessários para definir esta questão. Contudo o tratamento cirúrgico está relacionado a um maior número de complicações e a um maior tempo de retorno às atividades prévias. pt
dc.description.abstract Background: Dislocation of the acromioclavicular joint is one of the most common shoulder problems in general orthopaedic practice. The question of whether surgery should be used remains controversial.Objective To assess the relative effects of surgical versus conservative (non-surgical) interventions for treating acromioclavicular dislocations in adults. Method: We searched the Cochrane Bone, Joint and Muscle Trauma Group Specialised Register (to February 2009), the Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library 2009, Issue 1), MEDLINE (1966 to February 2009), EMBASE (1988 to February 2009), and LILACS (1982 to February 2009), trial registries and reference lists of articles. There were no restrictions based on language or publication status. All randomised and quasi-randomised trials that compared surgical with conservative treatment of acromioclavicular dislocation in adults were included. Main results Three trials were included in this review. These involved a total of 174 mainly male participants. Two trials were randomised and one was quasirandomised. None used validated measures for assessing functional outcome. Authors' conclusions There is insufficient evidence from randomised controlled trials to determine when surgical treatment is indicated for acromioclavicular dislocation in adults in current practice. Sufficiently powered, good quality, well-reported randomised trials of currently-used surgical interventions versus conservative treatment for well-defined injuries are required. All three trials, however, reported complications from the breakage and migration of implants used for primary fixation across the acromioclavicular joint that sometimes required a further operation additional to the routine surgery needed for implant removal. Surgery was also associated with a longer time off from work and other activities. en
dc.description.sponsorship Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
dc.format.extent 183 f.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso aberto
dc.subject Articulação acromioclavicular/lesões pt
dc.subject Luxação do ombro/cirurgia pt
dc.subject Luxação do ombro/reabilitação pt
dc.subject Imobilização/métodos pt
dc.subject Reoperação pt
dc.subject Ensaios clínicos controlados aleatórios como assunto pt
dc.subject Adulto pt
dc.subject Revisão pt
dc.subject Metanálise pt
dc.title Tratamento cirúrgico versus não cirúrgico das luxações acromioclaviculares agudas nos adultos pt
dc.title.alternative Surgical versus conservative inverventions for treating acromioclavicular dislocation of the shoulder in adults en
dc.type Tese de doutorado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.identifier.file Publico-21725.pdf
dc.description.source BV UNIFESP: Teses e dissertações
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Medicina (EPM) pt
unifesp.graduateProgram Cirurgia translacional – São Paulo



File

Name: Publico-21725.pdf
Size: 3.631Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account