Padrão de integração do enxerto heterólogo de pele humana e quelóide no subepitélio da bolsa jugal do hamster

Padrão de integração do enxerto heterólogo de pele humana e quelóide no subepitélio da bolsa jugal do hamster

Alternative title Model of integration of human skin allogeneic graft and keloid in sub-epithelium of hamster cheek pouch
Author Hochman, Bernardo Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Cirurgia Translacional – São Paulo
Abstract Objetivo: Este trabalho visa descrever e comparar o processo de integração dos transplantes total de pele humana e quelóide no subepitélio da bolsa jugal do hamster (Mesocricetus auratus), que é um local "Local de Privilégio Imunológico". Métodos: Foram formados 2 grupos experimentais, sendo transplantadas, por grupo, amostras de pele e quelóide em ambas as bolsas de 18 hamsters, perfazendo um total 36 transplantes de cada amostra. Os animais foram subdivididos em 6 subgrupos para análise dos transplantes com 5, 12, 21, 42, 84 e 168 dias. O principal critério de integração adotado, foi a presença de vasos sangüíneos com hemácias nos transplantes. Na análise macroscópica dos transplantes foram observadas as reações vasculares na bolsa e a presença de pigmentações. A análise microscópica incluiu a avaliação da vascularização, a presença de infiltrado inflamatório e melanócitos, e as condições do epitélio e do tecido conjuntivo dos transplantes. Resultados: Integraram 80,64% dos transplantes de pele e 72,41% de quelóide. A macroscopia revelou uma reação vascular nos enxertos até 12 dias, sendo mais intensa nas amostras de quelóide, e a presença de pigmentação nos enxertos de pele e quelóide a partir de 42 dias. No exame histológico houve a presença de infiltrado inflamatório em ambos os grupos experimentais até 12 dias, sendo mais intenso no quelóide. Registrou-se a presença de melanócitos na pele e no quelóide a partir de 42 dias, e houve uma hialinização mais precoce, com 42 dias, do tecido conjuntivo nos enxertos de quelóide, em relação aos de pele que ocorreu a partir de 84 dias, porém com a manutenção de vasos em ambos os casos. Conclusões: A bolsa jugal do hamster pode ser utilizada como modelo experimental para enxertos de pele humana e quelóide, com manutenção da integridade dos epitélios, para estudos de até 21 dias. O modelo também mostrou-se útil para estudos de até 168 dias sem a presença de epitélio íntegro. Os enxertos de quelóide apresentaram um fator pró-inflamatório mais intenso que os enxertos de pele até 12 dias. A bolsa do hamster propiciou ao transplante de quelóide, ineditamente, a diferenciação de melanócitos, ausentes nas lesões no ser humano.
Keywords Mesocricetus
Transplante de Pele
Queloide
Transplante Heterólogo
Language Portuguese
Date 2002
Published in HOCHMAN, Bernardo. Padrão de integração do enxerto heterólogo de pele humana e quelóide no subepitélio da bolsa jugal do hamster. 2002. 115 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo. São Paulo, 2002.
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 111 p.
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/18282

Show full item record




File

Name: Tese-7444.pdf
Size: 3.882Mb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account